Conecte-se Conosco

Sem categoria

Quarteto Brasil de Tuhu faz concerto didático para alunos da Escola Inês Maroja, no Barreiro, em Belém

Foto: Fernando Sette - Comus

Publicado

em

As obras do maestro Heitor-Villa Lobos ganharam um lugar especial na vida dos alunos da Escola Municipal Inês Maroja, no bairro do Barreiro, em Belém. Nesta quarta-feira ( 19), as turmas da educação infantil ao 6º ano assistiram a apresentação do Quarteto Brasil de Tuhu, um concerto didático do Programa Brasil de Tuhu, que busca a ampliação da educação musical nas escolas públicas do país. Cerca de 600 alunos acompanharam o diálogo entre as músicas de Villa Lobos, o Tuhu, e a teatralização de sua história, misturando educação musical e interação com as crianças.

Tia do maestro representada

No início da apresentação os alunos conhecem Fifi, tia de Heitor-Villa Lobos, que ajuda a conduzir a viagem pela infância do maestro. Interpretada pela atriz Maria Ceiça, Fifi logo explica a origem do apelido do músico. “Tuhu” vem do som do apito dos trens que Villa Lobos gostava quando morava, ainda criança, em Minas Gerais. Entre uma música e outra, os integrantes do quarteto interagiam com a plateia, sempre trazendo conhecimentos sobre a música e sobre Tuhu.

Para explicar a diferença entre os instrumentos apresentados – compostos por dois violinos, uma viola e um violoncelo – e ensinar o básico da teoria musical, os músicos alternavam os clássicos de Villa Lobos com as músicas populares dos dias de hoje, incluindo artistas como Anitta. “Eu nunca tinha escutado as músicas dele e só tive contato com música clássica pela televisão. Achei muito legal a mistura que eles fizeram com o funk e como a gente pôde participar batendo palmas”, disse Thalita Ramos, aluna da Escola Municipal Inês Maroja. A cada chamada para interação, as turmas prontamente faziam o que era pedido.

Sob os olhares curiosos dos colegas, Juliana dos Santos foi chamada à frente para seu primeiro contato com um violoncelo. O instrumento é grande e quase esconde a menina de dez anos, que começa tímida, mas se solta com a ajuda do violoncelista do quarteto. “Fiquei feliz de vir aqui para frente. Nunca tinha visto os instrumentos antes e achei bem bonito”, Juliana conta abraçando a violinista do quarteto de cordas e coordenadora pedagógica do Brasil de Tuhu, Carla Rincón.

 

Música clássica para todos

O Quarteto Brasil de Tuhu leva a música clássica para onde normalmente esse tipo de música não chega, como as periferias das grandes cidades. “Eu sinto que entrando na vida deles, entrando na escola, a autoestima deles melhora. Me sinto parte ativa na melhoria do Brasil”, celebra Carla, natural da Venezuela. É o segundo ano do Projeto Brasil de Tuhu em Belém, que além do concerto didático, conta com a capacitação de professores para vivências musicais. A coordenadora do Programa explica que Belém foi presenteada com uma capacitação de professores diferenciada. Para ela, “está sendo muito bom trabalhar com os professores locais. A ideia é capacitar eles a alçarem as músicas de Villa Lobos e a nossa estratégia lúdica de brincadeiras musicais dentro da sala de aula”.

Em Belém foram escolhidas quatro escolas para receberem o concerto didático do Quarteto Brasil de Tuhu. Essa escolha é feita pela Secretaria Municipal de Educação (Semec), que avalia o potencial das escolas e a necessidade de reforço através das vivências artísticas. A coordenadora pedagógica da EM Inês Maroja, Rosely Costa, celebra a participação no programa. “As crianças gostam, interagem, sentem prazer de estar aqui. Isso é muito importante, o contato com a música, a interação com outras pessoas de fora da escola, a apresentação de culturas diferentes daquelas que estão acostumadas a conviver. Com certeza essa apresentação vai ser o comentário da semana entre eles e a família”, disse.

Programa existe há 10 anos

O Programa Brasil de Tuhu existe há dez anos. Uma parceria entre a violinista Carla Rincón e a Baluarte Cultura, iniciada com concertos didáticos, que, ao longo dos anos, foram acrescidos a videoaulas, capacitação de professores, criação de aplicativos, gibis, todos sob o portal do Brasil de Tuhu na internet. Carla conheceu Heitor-Villa Lobos aos 13 anos, na Orquestra Simón Bolívar, ainda na Venezuela. Ao mudar-se para o Brasil, em 2004, percebeu que as pessoas aqui não conheciam a obra de Villa Lobos. “Juntou uma coisa com a outra e deu um concerto didático sobre a vida de Villa Lobos. Nesses dez anos na estrada devemos ter tocado praticamente no Brasil todo”, conta a violinista. Ao final de cada apresentação as escolas recebem de presente um kit com materiais do Programa para que possam disseminar as práticas musicais para os alunos.

O Quarteto Brasil de Tuhu é composto por jovens escolhidos através de um concurso anual, onde os candidatos são avaliados nas áreas de música e teatro. Os músicos selecionados são capacitados e viajam pelo Brasil levando a música e história de Villa Lobos.

Fonte: Rede Pará

Copyright © 2018. A Província do Pará Todos Direitos Reservados . Desenvolvido por Ideia Virtual