Conecte-se Conosco

Sem categoria

Sem Haddad, PT reúne diretório nacional em meio a divisão interna

A presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann Foto: Dida Sampaio/Estadão

Publicado

em

Partido faz encontro de cúpula pela primeira vez desde a eleição de Bolsonaro; nova conduta da legenda é discutida

Renan Truffi, O Estado de S.Paulo

BRASÍLIA – Pela primeira vez após a eleição de Jair Bolsonaro para Presidência da República, o PT se reuniu na manhã desta sexta-feira, 30, em Brasília, num clima de divergências em razão dos rumos tomados pelo partido. Sem Fernando Haddad, que está em viagem pelos Estados Unidos, a presidente do partido, senadora Gleisi Hoffmann, comanda um encontro do Diretório Nacional do partido para discutir a aprovação de uma nova resolução sobre a conduta da legenda a partir de agora.

 Mas até mesmo a realização desse encontro está longe de ser uma unanimidade. Dirigentes do PT criticam, em condição de anonimato, a iniciativa de aprovar, neste momento, documento que determine qual será a forma de atuar dos petistas diante do novo governo. Nas palavras de um dos parlamentares do partido, o novo governo nem se formou ainda e, portanto, não se sabe ao certo como será a forma de atuar de Bolsonaro à frente do Palácio do Planalto.

Esse tipo de discussão foi um dos pontos da reunião realizada anteriormente pela corrente majoritária do partido, a Construindo Um Novo Brasil (CNB). Na análise de parte desse grupo, se passaram apenas 30 dias desde o fim do segundo turno e é cedo para determinar qual o melhor jeito de fazer oposição a Bolsonaro. Outro membro dessa corrente disse que a reunião do Diretório a esta altura serve apenas para Gleisi reafirmar seu poder interno.

No documento preliminar, ao qual o Estado teve acesso, e que servirá de base para a reunião, o partido tenta demarcar diferenças em relação a outros setores da centro-esquerda. O partido promete, por exemplo, oposição global ao governo eleito, alfineta setores da esquerda que se recusaram a apoiar Fernando Haddad no segundo turno da disputa presidencial, mas admite que opositores de diferentes matizes podem “coexistir”.

Embora não cite nominalmente Ciro Gomes, trechos do texto foram feitos sob encomenda para o candidato derrotado do PDT quando fala dos setores que se omitiram no segundo turno. “Somam-se a eles políticos oponentes ao golpe, que duvidavam da força do PT, imaginavam chegar ao segundo turno e, frustrados, tentam ‘culpar’ nosso partido pela performance obtida”, diz o documento. “A campanha contra o PT visa, em parte, adubar o terreno para algumas pretensas candidaturas às eleições de 2020 e 2022. Outro objetivo declarado é afastar o PT da linha de frente da oposição a Bolsonaro”, completa.

O texto, elaborado por uma comissão composta por integrantes de todas as correntes petistas, faz o balanço e aponta as prioridades do partido para o próximo período. Segundo o documento, o PT vai atuar em duas frentes. A primeira, popular, em defesa de direitos sociais e trabalhistas. A segunda, democrática, contra possíveis retrocessos na área dos direitos civis.

A autocrítica, cobrada por setores da centro esquerda e alas do próprio PT, se resume aos erros políticos dos governos petistas, em especial o da ex-presidente Dilma Rousseff, e não admite falhas no campo ético. Ao contrário, quando fala em corrupção o documento preliminar usa o tema como pretexto para perseguição ao partido. “A defesa do PT, em particular, exigirá um trabalho profissional de ‘reconstrução da imagem’. Fomos vítimas de uma campanha de terrorismo cultural (…) Nesse sentido, merece especial atenção o tema da corrupção (…) cabe ao PT combater as campanhas hipócritas e difamatórias contra o partido”, diz o texto.

A reunião do Diretório do PT deve durar todo o dia e continuar também no sábado, 1º, em hotel na capital federal. Além de Gleisi Hoffmann, participam do encontro lideranças como a ex-presidente Dilma Rousseff, o senador eleito pela Bahia, Jaques Wagner, e o deputado federal eleito Rui Falcão, além de senadores e deputados da sigla.

Na chegada ao encontro, Dilma concedeu entrevista à TeleSur, rede de televisão multi-estatal criada pelos governos de Venezuela, Argentina, Cuba e Uruguai, e defendeu o programa Mais Médicos. Isso porque, recentemente, o governo cubano decidiu convocar de volta os médicos do País, que integravam o programa, devido às declarações de Bolsonaro que questionam os termos do acordo assinado entre Brasil o governo da ilha.

Continue lendo
Clique para comentar

Sem categoria

Guardas municipais são homenageados por apreensão de duas toneladas de entorpecentes

Publicado

em

Foto: Reprodução / Fonte: Coordenadoria de Comunicação Social - COMUS

O apoio da Guarda Municipal de Belém (GMB) foi fundamental para que a Polícia Civil do Pará (PCPA) tivesse êxito na operação Narcos II no domingo, 16, e na segunda-feira, 17, no distrito de Mosqueiro, resultando na apreensão de mais de duas toneladas de entorpecentes, a maior registrada no Pará. Os guardas envolvidos foram homenageados nesta terça-feira, 18, com a medalha “Belém 400 anos”.

A cerimônia da honraria ocorreu na sede da Prefeitura de Belém. O prefeito Zenaldo Coutinho condecorou os 17 guardas municipais que participaram da operação com a medalha comemorativa dos 400 anos da fundação da cidade.

“A homenagem é integral a todos os homens e mulheres, e também às cadelas treinadas por nossas equipes da Guarda Municipal, pela brilhante missão cumprida junto com a Polícia Civil. A descoberta e a apreensão de duas toneladas de drogas promoveram um impacto extraordinário em nossa cidade”, destacou Zenaldo Coutinho.

Ainda de acordo com o gestor municipal, a entrega da medalha aos homenageados foi um gesto simbólico, pois haverá anotação na ficha funcional de cada um que atuou na missão. “Faremos isso pela dedicação e seriedade com que se ativeram nesta busca de proteger a sociedade. Os nossos jovens têm sido profundamente atingidos pela droga e essa resposta profissional da nossa Guarda Municipal demonstra que temos muita gente dedicada e comprometida com a cidade”, ressaltou.

Operação – A Polícia Civil do Pará, com o apoio da GMB, realizou no domingo, 16, e na segunda-feira, 17, a operação Narcos II, na qual resultou na maior apreensão de cocaína já feita no Estado. A droga foi apreendida no distrito de Mosqueiro, Região Metropolitana de Belém.

A droga estava escondida em uma chácara, na estrada do Pneu Azul, distante cerca de 20 quilômetros do centro de Mosqueiro, e parte dela só pôde ser encontrada com a ajuda de cães farejadores da Guarda Municipal, que identificaram o material enterrado no terreno da chácara.

Marcelo Lobo, de 48 anos, integrante da GMB há 18 anos, foi um dos homenageados por participar da maior apreensão de drogas no Pará. “Duas guarnições participaram da operação, sendo uma da inspetoria de Mosqueiro, e a outra, especializada em detecção de faro, com o Canil, levando as cadelas Índia, da raça labrador, e Maya, uma pastor alemão, que ajudaram no êxito da localização dos entorpecentes”, explicou ele.

A honraria recebida do prefeito de Belém, para Lobo, que foi uma satisfação: “Conseguimos impedir que drogas como essas chegassem até os jovens. E ser reconhecido com essa medalha é uma grande satisfação”.

Desde 2016, a Guarda Municipal tem trabalhado de forma integrada com as equipes do grupamento operacional, com as quatro inspetorias de base, somadas aos grupamentos táticos. Além disso, a Guarda Municipal atua em parceria com outros órgãos da segurança pública no Estado, desenvolvendo ações conjuntas.

Cães – O Grupamento de Ações Táticas com Cães (Atac) teve início com apenas cinco homens e dois cães, em 2007. Atualmente, já dispõe de um efetivo de 40 guardas e 12 cães de guarda e proteção. A missão específica é oferecer apoio às operações da GMB e cumprir as ordens de serviços expedidas pelos órgãos municipais.

Por :Karla Pereira

Continue lendo

Sem categoria

La Casa de Papel é uma das piores séries da Netflix; veja lista

Publicado

em

Fonte: observatoriodocinema Fonte: Reproducao

A Netflix é uma das maiores produtoras de conteúdo da atualidade, necessitando de uma demanda em massa para seu catálogo de streaming. Isso garante muitas séries de qualidade altíssima, mas também algumas que falham em ficar acima da média.

Aqui, separamos quais são as piores séries da Netflix atualmente sendo exibidas no streaming.

Confira abaixo.

Sinceramente, é até chocante que 13 Reasons Why tenha passado da primeira temporada. Claro, toda a polêmica questionável rendeu um grande interesse e curiosidade, o que levou o drama adolescente a chegar na terceira temporada, e já com data para acabar no ano seguinte. Mas convenhamos, ter o fantasma da garota que se suicidou e abruptamente transformar a série em uma “investigação policial” são provas o bastante da qualidade do material.

Lançada em 2018, Insatiable foi vista de forma quase unânime como a pior produção original no catálogo da Netflix. Muito se deu por seu tratamento problemático a temas espinhosos, como bullying e gordofobia, explodindo qualquer convenção do politicamente correto. Mas, obviamente, quebrar o politicamente correto não é o problema (nunca é), mas sim a qualidade desprezível de sua história. Felizmente, a série foi cancelada recentemente.

Juro que não compreendo como algo tão clichê e batido faz tanto sucesso quanto La Casa de Papel. Qualquer um que já assistiu qualquer filme heist na vida já pegou todos os truques da produção espanhola, que se mantém agora como uma saga de crime revolucionário. Atuações e roteiro de pior qualidade.

Descrito como uma Rebelde para maiores, Elite aposta no drama adolescente de um colégio interno na Espanha. Não é tão diferente das novelas mexicanas de péssima qualidade que acabavam na programação da TV aberta brasileira, e a segunda temporada conseguiu ser ainda pior do que sua original.

Gatunas é mais uma série adolescente que não sabe bem o que dizer, e que também não empolga com roteiro fraco e um elenco nada carismático. A boa notícia é que a segunda temporada, que a Netflix confirmou já este ano, será a última da série.

Continue lendo

POLÍCIA

Polícia Civil e Militar deflagram operação integrada para prevenir crimes em Santarém

Quatro estabelecimentos foram fechados e mais de 400 pessoas foram abordadas para verificação

Publicado

em

Foto: Reprodução / Fonte: Polícia Civil

As Polícias Civil e Militar deflagraram, no último sábado (15), em Santarém, oeste do Pará, uma operação integrada denominada “Caravana da Segurança”. Durante a ação, quatro estabelecimentos foram fechados, por estarem em desconformidade com normas técnicas e problemas de sanidade, além de risco à população. Outros três tiveram o funcionamento encerrado por estarem operando fora do horário estabelecido por lei municipal. A operação contou com um efetivo de 10 homens, três viaturas e uma equipe de reforço da 16ª Seccional Urbana de Santarém.

Segundo o superintendente da Região, delegado Jamil Casseb, a ação visa a prevenção de crimes, e atuação no enfrentamento de atividades criminosas, além de fiscalização de eventos de diversões públicas, busca por pessoas com mandados de prisão, armas, drogas e proteção de crianças e adolescentes, com ações de fiscalização em vias e em estabelecimentos. “No total foram realizadas 105 abordagens, seis remoções e uma Carteira Nacional de Habilitação (CNH) foi recolhida por estar vencida, além de 10 notificações, e um total de 430 pessoas abordadas para verificação nos eventos fiscalizados” – Jamil Casseb, superintendente da Região.

Também participaram da operação o Corpo de Bombeiros, Departamento Estadual de Trânsito (Detran), Secretaria Municipal de Mobilidade e Trânsito (Smt), Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma) e Vigilância Sanitária.

Por: Luiz Cláudio (PC)

Continue lendo

Facebook

Propaganda

Copyright © 2018. A Província do Pará Todos Direitos Reservados . Desenvolvido por Corpes Digital