Conecte-se Conosco

TECNOLOGIA

Sete dicas para economizar energia em casa e pagar menos na conta de luz

Chuveiro elétrico é o eletrodoméstico que mais consome energia em casa — Foto: Divulgação/Nebia Fonte: Tech tudo

Publicado

em

Economizar energia pode significar uma conta de luz mais barata no fim do mês. E, durante a quarentena por conta do novo coronavírus, muitas casas estão consumindo mais, já que há pessoas fazendo home office e muitos eletrônicos ficam ligados ao mesmo tempo por um longo período. Para diminuir o impacto no bolso, é importante atentar a alguns detalhes no dia a dia, desde mudar pequenos hábitos até comprar produtos pensando no quanto eles podem economizar futuramente. Pensando nisso, o TechTudo separou sete dicas para economizar energia em casa e pagar menos na conta de luz.

Com muitas pessoas em casa, o uso de eletrodomésticos tende a subir consideravelmente. Dessa forma, mudar um pouco o perfil de uso pode representar um consumo menor, sobretudo durante a quarentena. Um exemplo simples, mas que faz a diferença, é evitar deixar a luz acesa em cômodos vazios ou até mesmo juntar a roupa suja para lavar em dias específicos da semana. Outro item que consome bastante é o chuveiro elétrico, e regular o tempo de banho pode ser uma boa forma de economizar.

2. Substitua suas lâmpadas

As lâmpadas também serão usadas com maior frequência enquanto você estiver em casa. Esses dispositivos receberam diversas melhorias nos últimos anos, sendo possível encontrar opções que prometem economizar até 50% de energia em relação a modelos mais antigos. É o caso das lâmpadas incandescentes e fluorescentes, que têm uma luz mais forte e clara, mesmo gastando menos.

Outra possibilidade é buscar por alternativas inteligentes, que permitem controlar a iluminação pelo celular. Marcas como Positivo, Multilaser e Pixel TI, além de Xiaomi e Philips Hue, oferecem produtos do tipo, que também podem funcionar por meio de assistentes de voz como Google Assistente e Alexa ou até de forma automatizada, em rotinas criadas pelo usuário.

3. Corte o consumo fantasma

Muitos eletrodomésticos e eletrônicos usam energia elétrica mesmo quando estão desligados. Entre os “culpados” por esse consumo fantasma estão desde relógios de LED até itens inteligentes em geral, passando por TVs e computadores. Portanto, depois de desligar o dispositivo no controle remoto, por exemplo, vale tirá-lo também da tomada.

Isso também se aplica a carregadores de celular, que, apesar de não gastarem muito fora de uso, podem representar um acréscimo na conta de luz em casas com muitas pessoas. Uma dica para facilitar é utilizar soluções de casa conectada como smart plugs, que podem ser controlados pelo celular.

4. Compre eletrodomésticos econômicos

Na hora de substituir eletrônicos, é importante atentar ao selo da Procel, concedido para aparelhos com maior economia de energia. Dessa forma, o usuário garante que o novo eletrodoméstico vai ter um consumo relativamente baixo, impactando menos na conta de luz. Essa classificação é dada a partir de diversos testes e ensaios feitos por laboratórios indicados pela Eletrobras, e os produtos precisam atingir determinados índices de qualidade.

As tabelas de consumo/eficiência energética do Inmetro, que também aparecem em etiquetas nos eletrodomésticos, são outra forma de saber o perfil dos produtos. Vale ressaltar que os aparelhos mais econômicos costumam também ser mais caros em relação a outras opções no mercado, mas a ideia é que essa diferença seja compensada após alguns meses de uso.

5. Use simuladores para saber seus gastos

Várias distribuidoras de energia no Brasil, como Light, Enel e CEEE, possuem simuladores que ajudam os consumidores a descobrir quais aparelhos pesam mais na conta de luz. Esses sites podem facilitar o planejamento do usuário na hora de trocar seus eletrodomésticos, permitindo saber quais precisam ser substituídos com maior urgência.

Embora sejam diferentes entre si, todos são simples de usar: basta adicionar os produtos presentes na sua casa, o consumo e a quantidade de tempo em que eles ficam ligados para receber uma estimativa dos gastos. É importante ter em mente que o valor da energia varia de estado para estado, então a dica é utilizar o simulador próprio da distribuidora local.

6. Modere no ar-condicionado

Em áreas muito quentes, o ar condicionado pode se tornar indispensável, ainda mais durante o verão. Nesse caso, a dica é manter um uso consciente, deixando-o desligado sempre que possível. Uma opção que pode ajudar é o uso de ventiladores de teto ou de chão, que são mais baratos e podem ser suficientes para alguns casos.

Ar condicionado é um dos vilões da conta de luz — Foto: Divulgação/Xiaomi

Caso o ar-condicionado que você tem em casa seja antigo, a troca por um aparelho mais recente também pode representar uma boa diferença na conta de luz. Assim como outros eletrodomésticos, aparelhos mais recentes possuem tecnologias que ajudam a reduzir o consumo, como os modelos Inverter. O LG Dual Inverter Voice portátil foi testado, e foi possível sentir a diferença em relação a um ar comum, já que a conta de luz não subiu como esperado, mesmo com a quarentena.

7. Aproveite a luz do sol e o vento

Não é preciso ter painéis solares ou dispositivos parecidos para aproveitar a energia do sol. Aproveitar a iluminação natural durante o dia, dependendo do lugar, pode ser suficiente para algumas tarefas. Deixar as janelas abertas também deve melhorar a temperatura da casa, já que o ar circula com mais facilidade e, em alguns casos, pode substituir o uso de um ventilador ou ar-condicionado em determinados períodos. Outro fator que deve ajudar é o uso de cores claras pela casa, que absorvem menos calor e resfriam naturalmente áreas próximas.

Copyright © 2018. A Província do Pará Todos Direitos Reservados . Desenvolvido por Ideia Virtual