Conecte-se Conosco

Esportes

Sonho acaba ainda no primeiro set, e Brasil dá adeus ao Mundial mesmo com vitória sobre o Japão no vôlei feminino

Publicado

em

Thaisa consola Gabi após queda no Mundial, mesmo com a vitória sobre o Japão — Foto: Divulgação/FIVB

Seleção brasileira chega a ter cinco pontos de vantagem na primeira parcial, mas permite a virada e é eliminada da competição. É o pior resultado da equipe desde 2002, quando foi sétimo lugar

Equipe japonesa comemora a classificação para a próxima fase do mundial

Quando subiu à rede e parou no bloqueio de Araki, Gabi parecia carregar todo o peso da decepção. O sonho de uma possível redenção durou apenas um set. Nesta quinta-feira, em Nagóia, o Brasil precisava vencer o Japão por 3 sets a 0 para avançar à terceira fase do Mundial. Chegou a ter cinco pontos de vantagem na parcial, mas voltou a se perder na própria instabilidade. Eliminada ainda no início, a seleção conseguiu renovar os ânimos para buscar a virada: 3 sets a 2, parciais 23/25, 16/25, 28/26, 25/21 e 15/11. Uma vitória com muito pouco a festejar em um adeus melancólico.

Foi uma campanha marcada pela falta de equilíbrio. A seleção, que sonhava com um título inédito, se despede ainda na segunda fase: em nove jogos, sete vitórias e duas derrotas. Termina o Mundial em sétimo lugar, no pior resultado desde 2002, quando também se despediu em sétimo. O título da competição é o único dos grandes que falta para a equipe, bicampeã olímpica (em Pequim 2008 e Londres 2012). O Brasil foi vice-campeão mundial em 1994, 2006 e 2010 e bronze em 2014.

A equipe fecha a segunda fase do Mundial em quarto lugar no grupo E, com 20 pontos, atrás das três seleções classificadas à terceira fase: Holanda, Japão e Sérvia. No Grupo F, Itália e China entraram em quadra já classificadas. Atuais campeões, os Estados Unidos, mesmo com uma derrota para as italianas por 3 a 1, conseguiram ficar com a última vaga. Maior vencedora da história, com sete títulos, a Rússia foi outro gigante a se despedir do Mundial nesta quinta. Derrotadas pelas chinesas também por 3 a 1, desperdiçaram a chance de seguir na competição.

Fernanda Garay tenta o ataque contra bloqueio japonês — Foto: Divulgação/FIVB

– Era uma vitória importante em todos os sentidos. Foi muito importante resgatar, algumas jogadoras estavam segurando o choro. O time teve brio, teve força. Agora, é levantar a cabeça para o futuro – afirmou o treinador.

Em sorteio realizado após a partida, a organização divulgou os grupos da terceira fase. No grupo G, Itália, Japão e Sérvia. No grupo H, Holanda, Estados Unidos e China. A FIVB ainda vai divulgar a ordem dos jogos.

Defesa japonesa esteve impecável e o Brasil não conseguiu sucesso

Queda logo no início

A seleção foi à quadra com uma mudança. Garay, que entrou bem contra a Holanda, voltou a ganhar a vaga de Drussyla. Foram as japonesas, porém, que abriram a contagem, com Koga. O início já mostrou como seria o desenho da partida. Com muito volume de jogo, o Japão tentaria vencer o bloqueio brasileiro com rapidez. Foi um começo equilibrado, com os dois times se alternando no comando do placar. Um bloqueio de Tandara, porém, deu a vantagem ao Brasil antes do primeiro tempo técnico.

Era difícil voltar à quadra. No intervalo, maior que o costume a pedido da TV japonesa, as jogadoras brasileiras tentaram se consolar. Gabiru, por exemplo, tinha os olhos cheios d’água. Ainda que não houvesse mais chances, era preciso voltar. Classificado, o Japão jogava solto diante de uma torcida tão barulhenta quanto animada. Faltava ao Brasil a concentração para tentar reagir. Na primeira parada técnica, as donas da casa já tinham 8/4 no placar.

 Não demoraram a disparar. A decepção pela queda era nítida, e o Brasil sequer conseguia fazer frente às rivais. Logo, o Japão teve 18/10. Zé Roberto tentou mudar, mandou Dani Lins, Drussyla e Adenízia à quadra, mas pouco adiantou. Em um novo erro de Drussyla, fim de papo: 25/16.

O Brasil queria se despedir de forma digna. Começou melhor o terceiro set e abriu 7/2. Foi para o primeiro tempo técnico com 8/4 no placar. Foi o sinal para que as coisas desandassem mais uma vez. As japonesas reagiram e passaram à frente. As brasileiras, porém, brigaram. Ainda não queriam se despedir. Salvaram quatro match points e tomaram a dianteira duas vezes na reta final, em uma virada improvável. No ace de Fernanda Garay, fecharam o set: 28/26.

Na tentativa de se despedir ao menos com uma vitória, o Brasil se manteve à frente no quarto set. Com Thaisa em quadra, a seleção buscou fortalecer seu bloqueio e abriu 9/6 no placar. As japonesas conseguiram retomaram a vantagem e já tinham 16/12 no segundo tempo técnico. O Brasil, na marra, conseguiu retomar o controle do jogo mais uma vez. No ace de Tandara, fez 21/16. As japonsas ainda ficaram a um ponto do empate, mas Gabi forçou o tie-break: 25/21.

No tie-break, o Japão voltou a dominar a partida e abriu 3/0 logo no início. Os erros brasileiros ainda estavam todos lá. Mas havia luta, porém. Com um ace de Fernanda Garay, deixou tudo igual, em 7/7. A partir dali, conseguiu se manter à frente até fechar em 15/11.

Confira as escalações:

Brasil: Roberta, Tandara, Gabi, Fernanda Garay, Bia e Adenízia. Líbero: Suelen.
Entraram: Dani Lins, Natália, Adenízia, Drussyla e Thaisa.

Japão: Tashiro, Koga, Shinnabe, Araki, Okumura e Kurogo. Líbero: Kobata.
Entraram: Ishii, Inoue, Nagaoka, Uchiseto e Shimamura.

Continue lendo
Clique para comentar

Esportes

Com 100% de aproveitamento, Goiás recebe o CRB pela Copa do Brasil

Publicado

em

Foto: Reprodução / Fonte: Gazeta Esportiva

Nesta quinta-feira, o Goiás recebe o CRB em mais um desafio da Copa do Brasil no Estádio da Serrinha, às 21h30. O jogo é válido pela segunda fase do torneio e o vencedor do jogo único avança. Em caso de empate, a disputa vai para os pênaltis.

O Esmeraldino vem embalado para o duelo, já que venceu todas as partidas em 2019. Em oito jogos, com 100% de aproveitamento, o Goiás é o melhor time entre aqueles que disputarão a Serie A do Campeonato Brasileiro deste ano. Na primeira fase da Copa do Brasil, venceu o Sergipe por 2 a 0, fora de casa, para garantir a classificação.

O CRB também não perdeu neste início de ano, mas o número de empates é alto. Em nove partidas até aqui, o time venceu apenas três e empatou as outras seis.

Para o duelo desta quinta, o Galo deverá ter mudanças na sua equipe titular. No último jogo do estadual, o treinador Roberto Fernandes colocou Maílson no segundo tempo. O jogador atuou bem e deve seguir com a vaga, já que Victor Rangel ainda se recupera de lesão e Zé Carlos ainda busca ritmo de jogo.

Mais cedo, outro jogo deve agitar a segunda rodada da competição. O Criciúma recebe o Oeste, no Heriberto Hulse, às 19h15. O pensamento do Tigre é apenas na vitória, pois a equipe está pressionada depois da derrota contra o Joinville no Catarinense. Além disso, a campanha no início de temporada é irregular. Em nove jogos, o Criciúma ganhou cinco e perdeu quatro até aqui.

Por outro lado, o Oeste tentará surpreender os mandantes. Com Bruno Lopes, que foi revelado pelo time de Santa Catarina, o time poderá contar com a ajuda da “lei do ex”. O atacante falou do reencontro com o time. “Com certeza é um jogo especial, voltar para Criciúma quase dois anos e meio depois. A vontade de vencer é muito grande”, declarou ao site do clube.

A classificação para a terceira fase da Copa do Brasil seria um feito inédito para o Rubrão, que vive bom momento. A equipe lidera o grupo D do Campeonato Paulista, à frente de Ituano, São Paulo e Botafogo-SP e, na primeira fase da Copa do Brasil, goleou o Fast Clube por 6 a 1.

Continue lendo

Esportes

No Uruguai, Bahia busca virada diante do Liverpool na Sul-Americana

Publicado

em

Foto: Reprodução / Fonte: Gazeta Esportiva

Depois de decepcionar sua torcida e perder para o Liverpool-URU em plena Fonte Nova, o Bahiavai a Montevidéu buscar a virada. Nesta quinta-feira, às 19h15 (de Brasília), no acanhado Estádio Luis Franzini, os comandados de Enderson Moreira precisam vencer os uruguaios na partida de volta por dois gols de diferença para avançar no tempo normal.

Ainda lamentando a desatenção que rendeu a derrota por 1 a 0 no duelo de ida, o Bahia quer ser mais incisivo no ataque para dar o troco e conseguir a classificação. Seguindo o padrão do discurso tricolor, o volante Nilton destacou a importância da equipe ser mais agressiva nos contragolpes e previu que o Liverpool vai usufruir da tradicional catimba.

“Deixamos o resultado escapar aqui. Poderíamos não ter tomado o gol e decidir com tranquilidade lá. Vamos ter que sair um pouco mais, buscar os contra-ataques e tentar não se expor. Tem a catimba deles. Jogo contra uruguaio e argentino é sempre complicado”, declarou o jogador.

“Estamos nos mobilizando, estamos concentrados, sabemos o que pode ser feito lá. Queremos evitar o erro como aconteceu aqui para não prejudicar ainda mais a equipe. Queremos fazer uma boa partida, não sofrer gols e ser cirúrgicos nos contra-ataques para fazer os gols”, completou.

Para a partida, Enderson Moreira não contará com o volante Elton e os atacantes Fernandão e Rogério, que se não participaram das atividades durante a semana e sequer viajaram. Em recuperação de lesão, o meia Yuri aperfeiçoa a parte física e também é desfalque. Por outro lado, Ramires, que disputou o Sul-Americano sub-20 pela Seleção Brasileira da categoria, está de volta e será reforço.

Assim, a equipe, descansada após poupar os titulares no triunfo diante do Vitória da Conquista no último domingo pelo Campeonato Baiano, pode ter uma escalação semelhante à do primeiro jogo: Douglas Friedrich; Moisés, Lucas Fonseca, Jackson e Nino Paraíba; Flávio, Gregore, Shaylon e Guilherme; Artur e Gilberto.

Se o Bahia já atuou 11 vezes na temporada, o Liverpool vai apenas para seu terceiro jogo. No último sábado, na estreia do Campeonato Uruguaio, o time usou força máxima no empate diante do Nacional a fim de dar ritmo aos atletas. O treinador Paulo Pezzolano deve novamente optar por escalar os titulares.

Continue lendo

Esportes

Vasco derrota o Serra e avança de fase na Copa do Brasil

Publicado

em

Foto: Reprodução / Fonte: Gazeta Esportiva

O Vasco segue com a boa fase neste início de temporada e nesta quarta-feira venceu por 2 a 0 o Serra-ES, em Cariacica. Com o resultado, os cruzmaltinos se classificaram para a Terceira Fase da Copa do Brasil.

Os cariocas dominaram os 90 minutos e abriram o placar no primeiro tempo, com Lucas Mineiro. Nos acréscimos da etapa final, Ribamar marcou o segundo e deu números finais ao confronto.

O adversário do Vasco na próxima fase da Copa do Brasil será definido do confronto entre Avaí-SC e Brasil de Pelotas-RS, que se enfrentam somente no dia 7 de março.

O jogo – O Vasco começou a partida tendo o controle da posse de bola, mas sem criar boas chances. O Serra apostava nos contra-ataques, só que parava na marcação cruzmaltina. Os cariocas criaram a primeira boa oportunidade de abrir o placar aos 16 minutos. Bruno César achou Yago Pikachu na área. O meia chutou cruzado, mas por cima do travessão.

O panorama da partida continuou o mesmo até os 26 minutos. Após cobrança de escanteio, Lucas Mineiro subiu sozinho para cabecear para a rede.

O revés foi sentido pelos donos da casa, que viram o Vasco pressionar em busca do segundo gol. Os cruzmaltinos rondaram a área, mas pecaram no último passe. Os cruzmaltinos voltara a assustar aos 35 minutos. Bruno César chutou colocado e obrigou Walter a fazer boa defesa.

Nos minutos finais, os cariocas diminuíram o ritmo e permitiram que o Serra equilibrasse o jogo. No entanto, nenhuma das equipes criou boa chance de marcar. Antes do intervalo, um lance assustou a torcida, quando Marrony tentou o cabeceio e acertou o defensor capixaba. O atacante ficou tonto e precisou ser substituído por Yan Sasse. Mesmo assim, o Vasco manteve a vantagem nos primeiros 45 minutos.

No segundo tempo, o Serra voltou com outra postura e criou boa chance logo com um minuto. Após boa troca de passes, a bola chegou em Rael na área. No entanto, o atacante chutou pela linha de fundo.

O susto fez o Vasco acordar no jogo. Os cruzmaltinos voltaram a assumir o controle da posse de bola e começaram a desperdiçar bons lances no ataque. O atacante Maxi López recebeu passe na entrada da área, mas permitiu a chegada do defensor antes da finalização. Depois, Yan Sasse fez boa jogada, só que chutou muito mal.

O Serra conseguiu assustar o goleiro Fernando Miguel aos 24 minutos. Peu cobrou falta de longe e quase acertou o ângulo. No entanto, o lance foi o único de perigo dos donos da casa.

O Vasco voltou a controlar o jogo, mas sem muita objetividade. Somente aos 38 minutos, Rossi foi lançado na área e chutou sobre o travessão. Nos minutos finais, o Serra ainda esboçou uma pressão, mas viu os cariocas decretarem a classificação, com gol de Ribamar, nos acréscimos.

Continue lendo

Facebook

Propaganda

Destaques