Conecte-se Conosco

SAÚDE

SUS recebe 1.424 novos leitos de UTI em todo o Brasil

Por Agência Brasil Brasília

Publicado

em

Com medida, número de vagas aumenta em 39% em relação a 2018

O Ministério da Saúde ampliou em 39% o número de leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI), em relação a 2018, nos hospitais do Sistema Único de Saúde (SUS). A medida acrescentou 1.424 leitos para viabilizar o atendimento de casos mais graves de crianças e adultos em todo país. 

Segundo a pasta, a ação foi responsável por zerar todos os pedidos de habilitação de leitos solicitados pelos estados em 2019, com investimentos de R$ 185,6 milhões. Atualmente, o SUS conta com 23 mil leitos de UTI Adulto e Pediátrico em todas as regiões do país. 

Dos 1.424 novos leitos, 729 são destinados a pacientes adultos, sendo 687 leitos de UTI e 42 em unidades coronarianas; e 695 voltados para o atendimento de crianças. Esse total está dividido em 142 novos leitos pediátricos, 159 neonatal, 287 em Unidade de Cuidados Intermediários Convencionais (UCINCo) e 107 em Unidade de Cuidados Intermediários Canguru (UCINCa).

No Centro-Oeste, foram habilitados 99 leitos, sendo 56 do tipo adulto, 30 pediátrico, sete neonatal e seis unidades coronarianas. No Nordeste foram 297 leitos, das quais 221 adulto, 34 do tipo pediátrico, 20 neonatal, 10 unidades coronarianas, 47 em UCINCo e 32 em UCINCa. Já para o Norte, a pasta habilitou 190 leitos, sendo 105 do tipo adulto, 35 pediátrico, 24 neonatal, um em unidade coronariana e 20 UCINCo.

Na Região Sudeste foram 300 leitos de UTI, dos quais 184 são leitos adultos, 13 pediátricos, 78 neonatal, 25 coronarianos, 203 UCINCo e 67 UCINCa. Na região Sul foram habilitados 144 UTIs, sendo 121 do tipo adulto, 10 do tipo pediátrico, 13 neonatal, 17 UCINCo e oito UCINCa.

SAÚDE

Volta às aulas: check list inclui visita ao oftalmologista

Publicado

em

Foto: Reprodução / Fonte: Press Página

Nesta época que antecede a volta às aulas, os pais têm muito com o que se preocupar para que seus filhos tenham um ano escolar bem-sucedido. A consulta ao oftalmologista faz parte do check list. Tanto que, de acordo com o médico Renato Neves, diretor-presidente do Eye Care Hospital de Olhos (SP), o volume de pacientes com menos de 17 anos aumenta entre 20% e 30% na segunda quinzena de janeiro. “A maior parte do aprendizado de uma pessoa se dá na infância. Por isso é tão importante oferecer as melhores condições possíveis e cuidar bem da visão”.

Apesar de algumas escolas públicas contarem com determinados programas de check up anual da visão, Neves explica que o exame realizado em ambiente clínico é mais meticuloso, amparado por toda tecnologia necessária para exames complementares. Isso garante não apenas a prescrição de óculos de grau para quem tem miopia, hipermetropia ou astigmatismo, mas uma série de outras possibilidades terapêuticas dependendo da necessidade. “Quando um problema de visão é mal diagnosticado, ou passa despercebido, outros problemas comportamentais e de saúde podem surgir como desdobramento. Exemplo disso são crianças consideradas irrequietas, difíceis de lidar, impacientes, e que, posteriormente, foram diagnosticadas com miopia. Ou seja: a criança não enxergava nada o que estava sendo escrito na lousa – o que desencadeava a falta de interesse e indisciplina”, relatou o médico.

Estudos demonstram que 60% das crianças classificadas como estudantes portadores de alguma incapacidade ou dificuldade no aprendizado na realidade tinham problemas de visão nunca diagnosticados. “Quanto mais cedo uma dificuldade visual for diagnosticada e tratada, maiores serão as chances de um tratamento bem-sucedido. Além disso, a visão das crianças pode mudar rapidamente. Daí ser fundamental consultar um especialista tão logo pais ou responsáveis notem alguma alteração no comportamento ou ainda percebam que a criança vem se queixando mais frequentemente”.

Miopia está aumentando aceleradamente na infância

Renato Neves chama atenção para o grande aumento de casos de miopia entre crianças. Em muitos países, o problema já é considerado uma epidemia. Estudo realizado pelo National Eyes Institute (Estados Unidos) mostra que a prevalência de miopia aumentou de 25% para 42% entre os norte-americanos com idade entre 12 e 54 anos nas últimas três décadas.  “A miopia geralmente começa na infância. O míope costuma fechar um pouco os olhos para tentar enxergar melhor quando não está usando óculos ou lentes. Essa é, inclusive, uma dica para os adultos prestarem atenção. Se a criança cerra a vista para ver melhor alguma coisa que está distante, tem algo de errado que deve ser investigado. Para a maioria das pessoas, ela se estabiliza no início da vida adulta, mas há casos em que a miopia continua aumentando ao longo dos anos”.

Segundo o médico, outras queixas muito comuns entre as crianças incluem dor de cabeça, sensação de cansaço nos olhos, irritação e vermelhidão ocular. “Não são poucas que verbalizam a necessidade ‘descansar’ um pouco os olhos antes de continuar a estudar ou até mesmo brincar. Os pais devem estar muito atentos a esse tipo de queixa e buscar ajuda de um especialista”.

Quando o paciente é pequeno, Neves afirma que os óculos são a melhor solução – já que não requerem grandes cuidados e são mais fáceis de se adaptar. Já quando o paciente tem mais de 12 anos e demonstra ser capaz de tomar todos os cuidados diários que as lentes de contato exigem, essa é uma boa opção. Por fim, quando o oftalmologista percebe que houve uma acomodação no grau, a cirurgia refrativa é um ótimo recurso para o paciente se ver finalmente livre de óculos e lentes de contato. “Hoje em dia o procedimento é rápido, praticamente indolor e a recuperação se dá em curto espaço de tempo”.

Por: Heloísa Paiva

Continue lendo

SAÚDE

Conheça a dieta que fez Adele emagrecer 45kg em cinco meses

Publicado

em

A transformação da cantora Adele Fonte: UOL Foto: Reproducao

A cantora inglesa Adele chocou seus fãs recentemente quando surgiu com a aparência bem mais magra.

 Ela emagreceu 45 quilos nos últimos cinco meses após fazer uma dieta conhecida por sirtfood – baseada em alimentos que estimulam as sirtuínas, enzimas que aceleram o metabolismo -, além de praticar pilates e seguir os ensinamentos de sua ex-personal  trainer, a brasileira Camila Goodis.

A imagem circulou a internet e as especulações garantiam que cantora estaria doente. No entanto, de acordo com a revista norte-americana People, Adele mudou o estilo de vida para ser uma mãe mais saudável e conseguir acompanhar de perto o crescimento de seu filho Angelo, de sete anos.

Adele não se sentia bem com frequência e, para reduzir os sintomas de mal-estar, resolveu mudar seus hábitos. “É tudo sobre dieta. Eu acredito que ela mudou seu estilo de vida. Ela está fazendo uma alimentação limpa, sem alimentos processados, sem refrigerantes e açúcar“, comentou Goodis, que é conhecida por ser “feiticeira dos corpos”. A brasileira foi responsável por acompanhar Adele quando ela teve seu filhinho.

Além de se sentir melhor, Adele vem vestindo roupas diferentes e demonstrando bom humor. Ela está se preparando física e mentalmente para produzir um novo álbum, que provavelmente abordará a transformação dos últimos meses.

A DIETA SIRTFOOD

Criada por pesquisadores ingleses, a dieta sirtfood trabalha com restrição calórica, sendo focada em um cardápio que estimule as sirtuínas, grupo de enzimas que aceleram o metabolismo. No organismo, as enzimas, de uma maneira geral, não só as sirtuínas, são responsáveis por potencializar reações. Este tipo específico acaba otimizando também as transformações da glicose e do tecido adiposo durante o processo de emagrecimento.

Alguns alimentos que ativam a ação das sirtuínas e que passaram a compor o cardápio de Adele são o morango, o chocolate amargo (acima de 70% cacau) e a couve kale. Mas não adianta acrescentar esses itens aleatoriamente à alimentação, pois é necessário o conhecimento especializado de um profissional de nutrição para este fim.

Continue lendo

SAÚDE

Cinco maneiras de prevenir as hemorroidas

Publicado

em

Fonte: noticiasaominuto Foto: Reproducao

A doença hemorroidária é extremamente frequente na população adulta

Estima-se que cerca de metade da população possa sofrer de hemorróidas. As hemorróidas são vasos sanguíneos dilatados, localizados no ânus ou no baixo reto e podem ser internas (dentro do ânus) ou externas (à volta do ânus).

De forma geral, manifestam-se através de perdas de sangue, desconforto, dor e/ou prurido (comichão) na região anal. Algumas situações apenas encontram solução com a intervenção médica, mas o Lifestyle ao Minuto apresenta-lhe cinco formas de prevenir o problema. 

  • Evite estar demasiado tempo em pé ou sentado: isto faz com que a pressão sobre as veias do ânus aumente.
  • Beba entre 8 a 10 copos de água por dia: hidrate o organismo. 
  • Tenha uma alimentação equilibrada e rica em fibras: as fibras são essenciais para o bom funcionamento do intestino e para prevenir a obstipação. Não retire a casca quando comer fruta. 
  • Não ‘prenda’: um dos fatores associados às hemorroidas é a pressão aumentada no abdômen. Ao banheiro sempre que tiver vontade. 
  • Pratique exercício físico: a atividade física obriga o intestino a funcionar de forma regular. 
Continue lendo

Facebook

Propaganda

Copyright © 2018. A Província do Pará Todos Direitos Reservados . Desenvolvido por Corpes Digital