Conecte-se Conosco

TECNOLOGIA

Tesla Model 3 com Autopilot ligado bate em viatura da polícia

TecMundo

Publicado

em

Apesar de o software de direção Autopilot ter esse nome, a solução da Tesla ainda não é 100% autônoma e uma irônica evidência disso ocorreu no último fim de semana, nos Estados Unidos. Segundo um boletim da polícia de Connecticut, uma viatura foi atingida por um veículo Model 3 que estava com o programa habilitado, na noite de sábado (7).

De acordo com o relatório publicado no Facebook, a polícia estava prestando auxílio para um veículo parado na beira da rodovia. Durante a operação, o Model 3 usando o Autopilot apareceu, colidiu com a viatura e também no carro do acostamento. As duas batidas não foram suficientes para reduzir a velocidade do Tesla, que só parou com a intervenção de um segundo automóvel policial. Apesar do estrago exibido nas fotos, ninguém se feriu gravemente durante o acidente.

Segundo a publicação da polícia de Connecticut, o motorista do Model 3 disse que o veículo foi colocado no modo de piloto automático pouco antes da colisão. O condutor teria tirado os olhos da estrada para checar seu cachorro, que estava no banco traseiro do veículo. O animal também não sofreu ferimentos durante a ocorrência.

Os oficiais aplicaram uma multa no condutor por direção perigosa e imprudências de trânsito. A polícia do estado americano também aproveitou a situação peculiar para lembrar que ainda não existem carros realmente autônomos e, apesar do nome utilizado pela Tesla, seus veículos não podem andar por aí sem motorista.

“Independentemente da capacidade do seu veículo, é necessária toda a atenção para garantir uma direção segura”, diz a polícia de Connecticut. “De acordo com a Administração Nacional de Segurança no Trânsito nas Rodovias, embora vários veículos possuam alguns recursos automatizados, atualmente não há automóveis à venda totalmente autônomos.”

Continue lendo
Clique para comentar

TECNOLOGIA

WhatsApp tem nova versão beta liberada para Android

Publicado

em

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil / Fonte: Folha PE

O WhatsApp liberou, na última quinta-feira (16), novas atualizações e divulgou novidades sobre o tema escuro no aplicativo para Android.

Liberada pelo Facebook, a nova versão beta (2.20.8) do aplicativo de mensagens busca diminuir os ‘bugs’, e não possui mudanças visuais, de acordo com o site especializado WABetaInfo.

A empresa, no entanto, continua a trabalhar no tema escuro, que deve ser o grande atrativo do WhatsApp nas próximas atualizações.

De acordo com o site americano, ainda não há data especificada para o lançamento do tema escuro, que ainda está sendo aperfeiçoado. 

Por: Mário Fontes

Continue lendo

TECNOLOGIA

Homem joga PS4 em monitor do aeroporto enquanto espera para embarcar

Publicado

em

Foto: Reprodução/The Oregonian/ Tech Tudo

Um jogador desconhecido resolveu esperar pelo voo em um aeroporto internacional dos Estados Unidos com uma partida de Apex Legends em seu PlayStation 4

m homem no Aeroporto Internacional de Portland, no estado de Oregon nos Estados Unidos, usou um dos monitores do local para jogar Apex Legends em seu PlayStation 4 (PS4). O passageiro foi flagrado em uma foto, na última quinta-feira (16), durante um período de espera pelo voo. O comportamento fora do comum causou alguns problemas – isso porque o monitor deveria exibir informações úteis para os visitantes, como um mapa do lugar. Supervisores pediram que ele encerrasse sua atividade, porém o homem ainda perguntou se poderia terminar a partida, e recebeu uma resposta negativa.

O jogador desconhecido não teve sua identidade revelada, já que o incidente foi resolvido sem maiores complicações. Uma porta-voz do aeroporto, Kama Simonds, comentou que “isso é obviamente algo que não gostaríamos que tivesse acontecido porque viajantes precisam da informação que estamos colocando na tela para eles”.

Além disso, Simonds ressaltou que este caso é “um bom lembrete do que não fazer no aeroporto”. A história chegou até mesmo à produtora Electronic Arts, que publica Apex Legends. A empresa comentou, em tom de brincadeira, em sua conta no Twitter: “libertem este homem”.

A história surgiu primeiro no site da rádio local KXL News de Portland, noticiada pelo repórter Jacob Dean, e foi reproduzida em várias mídias posteriormente. A fonte original, no entanto, apagou a notícia, aparentemente sob acusações de “clickbait“. Os leitores alegaram que o veículo usou um título sensacionalista para um problema que foi resolvido tranquilamente.

Continue lendo

TECNOLOGIA

Facebook desiste (por enquanto) de colocar propaganda no WhatsApp

Publicado

em

Foto: Reprodução / Fonte: Gizmodo Brasil

Os planos do Facebook para colocar propagandas no WhatsApp foram suspensos, de acordo com informações do Wall Street Journal. No lugar deles, a gigante das mídias sociais vai investir em ganhar dinheiro com o aplicativo de mensagens por meio de recursos de atendimento ao cliente e vendas para empresas e negócios.

Segundo o WSJ, a equipe dedicada a esse projeto foi desfeita pelo Facebook, e os códigos criados por esse time foram removidos do WhatsApp. A reportagem, porém, diz que os planos foram suspensos, mas não descartados, e que poderemos ver propagandas no Status (como é chamada a versão do WhatsApp para os Stories do Instagram) em algum momento.

Como lembra o Engadget, os fundadores do app tinha opiniões bastante fortes e contundentes contra a propaganda — tanto que eles saíram da empresa entre 2017 e 2018.

Em um post de 2012 — dois anos antes da venda para o Facebook, portanto — eles criticam duramente o modelo de negócio baseado em anúncios, chegando inclusive a chamá-los de insultos à inteligência. Vale lembrar que o WhatsApp não era gratuito — ele custava US$ 1 por ano no Android e US$ 1 no momento da compra no iOS.

Em vez de propagandas, segundo o WSJ, a aposta do Facebook para ganhar dinheiro com o WhatsApp é apostar na plataforma como canal de vendas e atendimento ao cliente para empresas.

O WhatsApp Business, lançado em 2018, vai nesse sentido. Ele oferece um serviço de atendimento ao cliente que é gratuito para usar, mas cobra caso a companhia demore mais de 24 horas para responder seu consumidor. Essa parece ser uma estratégia esperta para consagrar o WhatsApp como canal mais rápido para conseguir ter sua reclamação atendida e mudar o modelo de cobranças mais adiante.

Mais recentemente, o aplicativo também ganhou o recurso de catálogo, que é bem útil para pequenos empreendedores que vendem produtos usando o WhatsApp.

Por: Giovanni Santa Rosa

Continue lendo

Facebook

Propaganda

Copyright © 2018. A Província do Pará Todos Direitos Reservados . Desenvolvido por Corpes Digital