Conecte-se Conosco

Sem categoria

TRE-PA pode “eleger” Jader Barbalho e Flexa Ribeiro antecipadamente se Mário Couto seguir impugnado

Publicado

em

Caso o candidato do PP ao Senado, o ex-senador Mário Couto não consiga reverter a impugnação do registro da sua candidatura pelo Tribunal Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PA), a prevalecer os resultados indicados pela última pesquisa do Instituto Doxa, sob encomenda de A Província do Pará, os candidatos Jader Barbalho (MDB) e Fernando Flexa Ribeiro (PSDB) já poderão ser considerados reeleitos para mais oito anos de mandato. Um fator que pode prejudicar as pretensões de Mário Couto junto ao TSE é o reflexo da decisão daquela Corte sobre o caso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Alguns juristas aqui do Pará não veêm com otimismo a situação. Mas Mário Couto, num vídeo que divulgou agora, se diz tranquilo e garante que na segunda-feira (17) já terá, junto com seus advogado, resolvido todo o imbróglio.

Principal concorrente

Mário Couto é o principal concorrente de ambos os candidatos que podem se beneficiar pelas decisões do TRE-PA de impugnar o candidato do PP,   principalmente de Jader Barbalho, a quem o ex-deputado  tem acusado de traição e de estar sujeito a prisão por conta de denúncias de improbidade.

Empate com Jader

Pela pesquisa Doxa/A Província do Pará, divulgada no dia 7, Jader tem 11,9%  das intenções de voto e Mário Couto,  11,5%. Essa diferença é desprezível, levando-se em conta que o ex-senador está há muito tempo fora da mídia e sem mandato, enquanto o senador pelo MDB está todos os dias na mídia e com mandato – embora seja considerado o senador que mais falta ás sessões dos Senado -, e conta ainda com um império de comunicação, capitanado pela RBATV ( Rede Brasil Amazônia de Televisão), e jornal “Diário do Pará”, que hoje é o mais vendido em Belém, segundo a propaganda que faz de si mesmo.

Mas contra Jader Barbalho ainda conta a alta rejeição do eleitorado, que é de 15%, ficando atrás apenas de Wladimir Costa (Solidariedade), que de 18,4%.  E Mário Couto é o que tem a menor rejeição entre os candidatos competitivos (4%), enquato Flexa Ribeiro tem 6%.

Assim, a corrida para o Senado, sem a interferência do TRE, se apresentaria  bastante acirrada, como mostra a pesquisa Doxa/ A Província do Pará. Estão  tecnicamente empatados Jader Barbalho (MDB), com  11,9%; Mário Couto, do PP, com 11,5%; e Flexa Ribeiro (PSDB), com 10.3%.

Os outros candidatos – Sideney Rosa (PSB), com 5.6%; Úrsula Vidal (Psol), com 5,2%, e Jarbas Vasconcelos (PV), com 5.1%, estão também praticamente empatados, mas não apresentam capilaridade suficiente para conquistar uma das duas vagas, a menos que haja alguma surpresa.

Os demais, incluindo  Wladimir Costa (Solidariedade), que foi um dos capeões de voto para a Câmara dos Deputados;  e Anivaldo Vale (PR), estão muito aquém.

Confira os gráficos sobre a intenção de voto e  rejeição para o Senado:

Mário Couto culpa imprensa e TRE

Historicamente, desde Felipe Alberto Patroni Martins Maciel Parente (Acará – Pará 1798 — Lisboa, 15 de julho de 1866), que fundou, em 1822, o primeiro jornal do Pará,  chamado “O Paraense” ( circulou só até a 70ª edição) para mostrar ao povo a importância de uma Constituição para o Grão-Pará,  a imprensa tem sido atacada por políticos e por qualquer pessoas que acha atingida ou prejudicada por algum noticiário.  Em alguns casos, até com razão, porque muitos jornais são usados para atacar adversários sem dó nem piedade, apesar de toda uma legislação que regula  a atividade jornalística e o código de ética dos jornalista.  Em outros, nem tanto.

Um dos responsáveis pela publicação de “O Paraense”, o  Conego João Batista Gonçalves Campos (nasceu em 1782, na Vila do Acará, em Barcarena, nordeste do Pará, e morreu em dezembro de 1834), na passagem da Adesão do Pará à independência (1823), foi amarrado à boca de um canhão aceso pelo mercenário e assassino inglês John Grenffel, depois de descoberta a farsa que garantiu às elites portuguesas a manutenção do poder lusitano apesar da adesão.

Nos anos 1970, Vladimir Herzog, nascido Vlado Herzog ( Osijek, Reino da Iugoslávia, 27 de junho de 1937 — São Paulo, 25 de outubro de 1975), jornalista, professor e dramaturgo brasileiro, foi assassinado nos porões da Ditadura Militar. A história está, pois, repleta de exemplos de “culpa” da imprensa. Já não surpreendem.

Mário Couto vê complô

Agora mesmo, o ex-senador Mário Couto (PP) está acusando s imprensa ou parte da Imprensa, de  participar de um complô com o TRE-PA, para plantar notícias falsas a respeito da sua impugnação. E diz que todos estariam a serviço do senador Jader Barbalho.

É compreensível a indignação do candidato com o TRE e até com o jornal “Diário do Pará”, de propriedade da família Barbalho, mas a respeito de A Província do Pará, por exemplo, o ex-senador está totalmente equivocado. Publicamos, sim, a notícia de sua impugnação, mas com base em documentos do próprio TRE-PA, expedido neste sábado 15, o qual reproduzimos logo  a seguir. E até ironizamos o TRE-PA, dizendo que o caso Mário Couto estava aqui estava se parecendo como caso Lula, no TSE: todos os recursos são negados antecipadamente. De fato, Mário Couto e outros candidatos que estão sub-judice  estão sofrendo os efeitos do caso Lula e têm sido,  impedidos de participar de campanha, de usar verba do fundo partidário, de se apresentar como candidatos e a tudo. A metralhadora giratória do ex-senador precisa corrigir a sua alça de mira (Por, Antonio José Soares, Editor)

A prova de que ninguém está inventando nada é a CERTIDÃO DE JULGAMENTO do TRE: 

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO PARÁ
SECRETARIA JUDICIÁRIA
CSJD – SEÇÃO DE ACÓRDÃOS E RESOLUÇÕES
CERTIDÃO DE JULGAMENTO
REGISTRO DE CANDIDATURA – 0600942-57.2018.6.14.0000
ORIGEM: Belém – PARÁ
RELATOR: Juiz Altemar da Silva Paes
PRESIDENTE DA SESSÃO: DESEMBARGADORA CELIA REGINA DE LIMA PINHEIRO
PROCURADORA REGIONAL ELEITORAL: Drª. NAYANA FADUL DA SILVA
SECRETÁRIO: RENATO HOLANDA ALVES
JULGADO EM: 15/09/2018
REQUERENTE: MARIO COUTO FILHO
ADVOGADO: JULIANA CASTRO BECHARA – OAB/PA14082
ADVOGADO: INOCENCIO MARTIRES COELHO JUNIOR – OAB/PA005670
ADVOGADO: MARINETHE DE FREITAS CORREA – OAB/PA17219
REQUERENTE: PARTIDO PROGRESSISTA – PP
DECISÃO: ACORDAM os Juízes Membros do Tribunal Regional Eleitoral do Pará, à unanimidade, rejeitar o incidente de falsidade proposto por Eslon Aguiar Martins; indeferiro Registro; resolvendo dissidência partidária, determinar que o nome do candidato não
seja inserido na urna eletrônica; vedar a prática de atos de campanha, em especial a veiculação de propaganda eleitoral relativa à campanha eleitoral no rádio e na televisão, prevista no art. 47, § 1º, da Lei nº 9.504/1997, bem como vedar a utilização dos recursos
públicos do Fundo Partidário e do Fundo Especial de Financiamento de Campanha -FEFC, nos termos do voto do Relator. Votaram com o Relator o Desembargador Roberto
Gonçalves de Moura, o Juiz Federal Arthur Pinheiro Chaves e os Juízes Amilcar Roberto
Bezerra Guimarães, Luzimara Costa Moura e José Alexandre Buchacra Araújo. Presidiu o julgamento a Desembargadora Célia Regina de Lima Pinheiro.
Por ser verdade, firmo a presente.
Belém, 15 de setembro de 2018.
BRENO AUGUSTO DE OLIVEIRA BARATA FLORES MARTINS
Seção de Acórdãos e Resoluções – CSJD
Assinado eletronicamente por: BRENO AUGUSTO DE OLIVEIRA BARATA FLORES MARTINS

As queixas do candidato

 

Por Diógenes Brandão/ As Falas da Pólis
 
Mário Couto, candidato do PP ao senado, usou seu perfil no Facebook para denunciar o que chama de Fakes News da imprensa paraense, que segundo ele, está a serviço dos Barbalho.
Em uma Live (vídeo transmitido ao vivo), ele disparou contra a família – que temHelder Barbalho como candidato ao governo, Jader Barbalho tentando a reeleição ao senado e Elcione Barbalho (ex-esposa de Jader e mãe de Helder) tentando a reeleição Câmara dos Deputados, assim como José Priante, o primo que também quer se reeleger – e o TRE.
Assista ao vídeo:
Em contato com o candidato, o blog AS FALAS DA PÓLIS confirmou que Mário Couto resolveu chutar o balde e vai continuar se manifestando nas redes sociais contra o que chamou de complô de grande parte da imprensa e do judiciário paraense, que pelas palavras dele, estão a serviço dos seus ex-aliados políticos para tentar calar sua voz, mas não conseguirão.
Em nota, que circula pelas redes sociais, Mário Couto disparou:
 
“A divulgação de “matérias jornalísticas” dizendo que estou impugnado, na verdade não passa de uma tentativa vil de me tirar do jogo, sem antes o TSE julgar o meu recurso, o qual levarei pessoalmente à Brasília na próxima segunda-feira.  Não vamos mais recorrer ao TRE, pois aqui a justiça já provou que é parcial e obedece ao Jader Barbalho.
 
E esperem para ver: Quando o TSE julgar o meu recurso e manter a minha candidatura, vocês sabem quem cai? Respondo: Jader Barbalho eZequinha Marinho”, concluiu Mário Couto.
TRE-PA MANTEVE MÁRIO SEM RÁDIO E TV. SEU NOME TAMBÉM FOI EXCLUÍDO DA URNA
A sessão do TRE-PA desta última quinta (13) já pode ser considerada paradigmática para os moldes de julgamento da alta corte eleitoral do Pará. O processo mais aguardado na pauta do dia, dizia respeito a decisão sobre o recursos impetrado pela defesa de Mário Couto, onde reivindicava o tempo de televisão do Partido Progressista (PP), que chegou a aprovar seu nome como candidato ao senado, mas depois o retirou da ata retificadora, a qual alterou a ata da convenção, minutos antes do termino do prazo para envio ao TRE.
Mário Couto e Jader Barbalho estão tecnicamente empatados na liderança da intenção de votos do eleitorado paraense, segundo foi apurado pela última pesquisa do Instituto DOXA, divulgada no dia 07 de Setembro, onde mostra Jader com 11,9% e Mário Couto com 11,5%.
 
ONDE TUDO COMEÇOU?
Alegando medo de serem denunciados em sua fala sempre muito contundente contra os corruptos, Mário Couto acusa Jader e seu grupo político de tentarem atrapalhar sua candidatura.
Segundo ele, esse processo de perseguição e mentiras mal contadas é movido pelos seus adversários desde o dia 06 de Agosto, quando através de uma manobra jurídica com os dirigentes do PP, inclusive o deputado federal Beto Salame, que preside o partido no Pará, Mário Couto foi aclamado candidato do partido e logo em seguida, na “calada da noite”, em uma ata retificadora, teve seu nome retirado da disputa, causando uma grande lambança e gerando mais duas atas retificando o que aconteceu na convenção partidária que acabou retirando o nome de Mário Couto e deixou apenas de Jader Barbalho eZequinha Marinho, como candidatos da coligação onde o PP se encontra com o MDB e mais 16 partidos.
 
Isso acontece porque segunda a lei eleitoral, os partidos que coligam para o governo, não podem informar que estão com mais de 02 candidatos ao senado nesta eleição e a coligação de Helder Barbalho tinha mais de 02, inclusiveMário Couto, que segundo o próprio, nunca imaginou que pudesse ser golpeado com quem esteve aliado até 40 dias atrás.
CASO DE POLÍCIA
Na última quarta-feira, o blog AS FALAS DA PÓLIS já havia divulgado a matéria Golpe, fraudes e falsificações transformam as eleições no Pará em caso de polícia, que onde informamos à sociedade paraense da grave denúncia protocolada no Ministério Público Federal, pelo suplente de Mário Couto, Eslon Martins, que denunciou a existência de uma trama entre o PP presidido por Beto Salame e seu principal aliado, o MDB, presidido porHelder Barbalho e tem como presidente de honra, o senador Jader Barbalho, seu pai.
Na matéria, o blog analisou que o fato mexeu com os bastidores da política paraense e trouxe uma grande preocupação nos partidos da coligação “O Pará daqui pra frente”, capitaneada pelo candidato e ex-ministro Helder Barbalho, que foi derrotado por Simão Jatene nas eleições de 2014 e agora lidera as pesquisas eleitorais para o governo do Estado.

Abaixo, o vídeo onde Mário Couto desabafa e diz que vai continuar lutando contra os corruptos:  

Poucas horas depois, o blog AS FALAS DA PÓLIS teve acesso ao vídeo que foi anexado na denúncia de Eslon Martins e que configura-se como prova de que houve a prática de um crime eleitoral, o qual certamente deverá ser investigado pela Polícia Federal, bem como pelo Ministério Público Federal, Estadual e Eleitoral, assim como avaliado pelo pleno do TRE-PA, pois trata-se de um caso grave e que fere letalmente o processo democrático nestas eleições.
Assista o vídeo onde o secretário-geral do Partido Progressista no Pará, Emanoel Nazareno Souza Muniz revela que teve sua assinatura falsificada em uma ata retificadora, entregue ao TRE-PA e que foi utilizada para deixar apenas Jader Barbalho (MDB) e Zequinha Marinho (PSC) com o tempo de TV da coligação, inclusive com o tempo de rádio e TV do PP, que já havia decidido ter Mário Couto como candidato do partido, mas foi sumariamente retirado da tal ata, que agora é apresentada como falsificada.
Ignorando tudo isso, o TRE decidiu por 5 votos a 1, manter Mário Couto fora da propaganda eleitoral gratuita no rádio e na TV e mandou retirar o nome do candidato da urna eletrônica e por isso, o candidato vai à Brasília, onde recorrerá ao Tribunal Superior Eleitoral, para assegurar seu tempo na propaganda eleitoral gratuita no rádio e na tv, além de manter-se candidato e com seu nome na urna eletrônica.

 

 

 

Copyright © 2018. A Província do Pará Todos Direitos Reservados . Desenvolvido por Ideia Virtual