Conecte-se Conosco

ESPORTES

União cobra R$ 566 milhões em impostos do Corinthians

Publicado

em

Foto: Reprodução / Fonte: *Folhapress/CARLOS PETROCILO, DIEGO GARCIA E JOÃO GABRIEL

O Corinthians foi cobrado pela Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN) em mais de R$ 566 milhões, segundo extrato ao qual a reportagem teve acesso.

O valor ultrapassa toda a receita líquida do clube, de R$ 446 milhões, registrada em 2018. A equipe fechou o ano com déficit de R$ 18 milhões.

A Procuradoria não detalha a origem nem data das cobranças. Informa, porém, que elas são tributárias, de Imposto de Renda, Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL), PIS e Cofins.

Os valores cobrados do Corinthians estão separados em oito inscrições junto à União e não incluem pagamentos já acordados em programas de refinanciamento de dívidas, como o Profut (Programa de Modernização da Gestão de Responsabilidade Fiscal do Futebol Brasileiro), de 2015.

Em nota enviada pela sua assessoria de imprensa, o Corinthians diz que se considera isento do pagamento de Imposto de Renda de Pessoa Jurídica, CSLL, PIS e Cofins. Afirma também que outros clubes, como Athletico-PR e São Paulo, obtiveram vitórias ao contestarem a cobrança.

“Entendimento similar ao do clube extinguiu cobrança movida pela União contra o Club Athletico Paranaense, depois de decisão da Câmara Superior de Recursos Fiscais do Carf (Conselho Administrativo de Recursos Fiscais) em 2018”, diz em nota.

O Carf é um órgão vinculado ao Ministério da Economia que julga recursos de contribuintes que contestam cobranças da Receita Federal.

“Mais recentemente, o Carf julgou procedente a isenção dos mesmos tributos do São Paulo Futebol Clube em cobrança de mesma natureza no início de 2019”, completa o Corinthians, que afirma que também alcançará “o mesmo desfecho favorável já obtido por outras agremiações”.

Ao analisar o caso do Athletico referente à cobrança da Receita Federal de ao menos R$ 85 milhões em IR, CSLL, PIS e Confins de 2005 a 2009, a Câmara Superior do Carf entendeu, por maioria de votos (6 a 2), que os clubes são associações sem fins lucrativos e estão isentos desses impostos.

No processo, a Procuradoria-Geral da Fazenda defendeu que a Lei Pelé equipara os times de futebol a sociedades empresarias.

Por isso, eles estariam sujeitos ao mesmo regime tributário das firmas.

Um dos conselheiros do órgão do Ministério da Fazendo, porém, afirmou que o Athletico não distribui lucros para os sócios e reinveste o que arrecada em atividades esportivas.

O advogado Guilherme Oliveira, do escritório Oliveira e Belém, defende que o resultado do julgamento do time paranaense pode servir como precedente para outras equipes do país que contestam cobranças de tributos.

– A agremiação pode ser configurada como uma entidade sem fins lucrativos se não remunera seus dirigentes e reinveste seu lucro [no esporte] – afirma o advogado.

O diretor jurídico do São Paulo, Leonardo Serafim, afirmou que a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional tem autuado os clubes de futebol. De acordo com o dirigente, as equipes têm direito a isenção e conseguem vitórias ao contestarem as cobranças, seja no Carf ou na Justiça.

A Procuradoria respondeu, por meio de sua assessoria de imprensa, que a Receita Federal realiza as autuações e tem competência para promover a isenção ou não. Cabe ao órgão cobrar os débitos não pagos, sejam eles decorrentes de declaração ou da autuação pela Receita Federal.

Procurado, o Athletico-PR não quis se manifestar sobre o tema. O coordenador de Estudos Socioeconômicos da Anfip (Associação Nacional dos Auditores da Receita Federal do Brasil), Vilson Romero, afirma que há posicionamentos diversos do Carf sobre o tema, contrários e favoráveis às equipes.

Segundo Romero, pode-se questionar a classificação das agremiações como entidades sem fins lucrativos pelo fato de elas movimentarem altas quantias de dinheiro com transações de jogadores e outros tipos de receitas.

No ano passado, o clube alvinegro obteve uma receita de R$ 118 milhões com a venda de jogadores.

Na previsão orçamentária para este ano, a equipe espera arrecadar R$ 50 milhões com a negociação de jogadores.

Em abril, a Folha de S.Paulo revelou que clubes voltaram a aparecer na dívida ativa da União três anos e meio depois da criação do Profut.

Na ocasião, o Corinthians, que já havia refinanciado R$ 152 milhões, tinha novos débitos que juntos totalizavam R$ 6,9 milhões.

Além das cobranças da União, o clube alvinegro tem débitos pendentes com a Prefeitura de São Paulo.

São oito execuções fiscais na Justiça contra a equipe alvinegra no âmbito municipal.

Só na dívida ativa do governo municipal, o clube do parque São Jorge tem mais de R$ 40 milhões para pagar –R$ 37,5 milhões em valores cobrados de IPTU (Imposto Predial Territorial Urbano) e pelo menos R$ 3,1 milhões em multas ambientais cobradas pelo município.

Já o Governo do Estado de São Paulo cobra R$ 200 mil da equipe corintiana por uma multa ainda não quitada com o Procon (Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor).

 

Continue lendo
Clique para comentar

FUTEBOL

Santos empata com Inter e se distancia do primeiro lugar

Publicado

em

Foto: Reprodução / Fonte: *Folhapress

Internacional e Santos empataram na tarde deste domingo (13) por 0 a 0, no estádio do Beira-Rio, em jogo válido pela 25ª rodada do Campeonato Brasileiro. Os torcedores dos dois times até gritaram gol, mas a arbitragem anulou, de forma correta, três bolas nas redes: uma do Santos e duas do Inter.

O empate não foi bom para nenhum dos dois times. Enquanto o Santos viu o Palmeiras roubar a vice-liderança e o Flamengo abrir ainda mais vantagem no primeiro lugar, o Internacional estendeu sua sequência para cinco jogos sem vitória e pode deixar o G-6 caso o Grêmio vença o Atlético-MG.

O próximo desafio do Internacional é diante do Avaí, no estádio da Ressacada, em Florianópolis, na próxima quinta-feira (17), às 19h15. O Santos recebe o Ceará, no mesmo dia e horário, na Vila Belmiro.

O Santos começou em cima do Internacional e chegou a abrir o placar logo aos dois minutos, após Tailson completar chute de Sasha, mas a arbitragem marcou corretamente o impedimento do atacante santista. O jogo ficou morno e os clubes não conseguiram levar mais perigo na primeira etapa.

Já no começo do segundo tempo, o cenário inverteu: Patrick bateu da entrada da área com desvio e faria o primeiro gol do jogo, mas a arbitragem novamente acertou ao marcar impedimento de Nico López no início da jogada. Aos 12 minutos, novo gol anulado por impedimento, no lançamento de Edenilson para Parede.

O Santos até começou bem a partida, muito ligado no jogo, mordendo em cima e forçando erros de saída de bola dos gaúchos. No entanto, o jogo esfriou e o Inter igualou as ações, que não foram muitas: nenhuma finalização certa no primeiro tempo. Após uma das melhores atuações na temporada, Sampaoli mudou a equipe, voltou a jogar com linha de três atrás e escalou Ferraz como autêntico volante, com liberdade para flutuar no meio. Não deu certo. Na segunda etapa, o Inter voltou melhor e teve dois gols anulados corretamente.

O técnico interino Ricardo Colbachini manteve o modelo utilizado por Odair Hellmann. Com Lindoso e quatro meio-campistas na linha à frente, a única troca de fato foi a utilização de Nico López como referência, e não pelos lados. Em campo, o Inter tratou de se defender. No primeiro tempo, pouco frequentou o ataque. A ideia era buscar a saída rápida com D’Alessandro como ligação entre meio e ataque. Na etapa final, o time gaúcho até marcou duas vezes, mas ambos os gols foram anulados.

FICHA TÉCNICA
INTERNACIONAL 0 x 0 SANTOS
Data: 13/10/2019 (domingo)
Horário: 16h (de Brasília)
Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)
Juiz: Bruno Arleu de Araújo (RJ)
Assistentes: Rodrigo Figueiredo Henrique Correa (RJ) e Luiz Cláudio Regazone (RJ)
VAR: Rodrigo Carvalhaes de Miranda (RJ)
Renda: R$ 522.030,00
Público: 13.572 (11.363 pagantes)
Amarelos: Marinho, Sampaoli e Jean Mota; Cuesta, Colbachini

INTERNACIONAL
Marcelo Lomba; Heitor, Roberto, Cuesta e Zeca; Rodrigo Lindoso (Bruno Silva), Patrick (Neilton), Edenilson, D’Alessandro e Nico López (Wellington Silva); Guilherme Parede. T.: Ricardo Colbachini

SANTOS
Everson; Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique e Luan Peres; Victor Ferraz (Jean Mota), Diego Pituca, Evandro e Jorge; Tailson (Alison), Marinho (Uribe) e Eduardo Sasha. T.: Jorge Sampaoli

Continue lendo

FUTEBOL

Vasco vence e se distancia do Z4

Publicado

em

Foto: Reprodução / Fonte: *Folhapress

Na cobrança de pênalti de Yago Pikachu, o Vasco venceu o Fortaleza por 1 a 0 e deu uma reagida na 25ª rodada do Campeonato Brasileiro. O time de Vanderlei Luxemburgo assume a 12ª colocação no torneio, agora com 31 pontos.

Já o Fortaleza continua na luta contra o rebaixamento. Com a derrota, os comandados de Rogério Ceni agora estão em 15º, com 28 pontos, três a mais que o CSA, que abre o Z4.

Na quarta-feira (16), o Fortaleza recebe o líder Flamengo, enquanto o Vasco tem o clássico contra o Botafogo, em outro confronto direto entre times da parte de baixo da tabela.

Tanto o Vasco quanto Fortaleza pouco apresentaram no primeiro tempo, que chegou ao fim com apenas uma chance real de gol para cada lado. A melhor saiu apenas com 43 minutos, em uma boa arrancada de Talles Magno pelo lado direito, porém, Ribamar não conseguiu aproveitar a bola cruzada.

Os dois técnicos promoveram mudanças na volta para o segundo tempo. No Fortaleza, Adalberto entrou no lugar de Jackson. Já Luxemburgo tirou Andrey para colocar Fellipe Bastos e Ribamar para a entrada de Felipe Ferreira.

O camisa 10 deu um novo fôlego ao ataque vascaíno. Aos 12, Felipe sofreu uma falta na entrada da área e ele mesmo bateu a cobrança. A bola tinha destino no ângulo, mas Marcelo Boeck conseguiu defender.

O goleiro do Fortaleza ainda faria mais uma boa defesa poucos minutos depois, em uma finalização à queima-roupa de Rossi, mandando para escanteio. Na primeira tentativa, o Vasco chegou a reclamar de um toque de mão e pediu auxílio ao VAR, que foi recusado para mais um escanteio. Neste segundo houve um empurrão de Adalberto em Castan, resultando em pênalti para o Vasco.

Yago Pikachu foi o responsável pela cobrança da penalidade, mandando uma bola rasteira para o lado direito. Marcelo Boeck foi para o mesmo lado e até chegou perto da bola, mas não conseguiu evitar o gol.

Talles Magno, em sua última partida antes de se apresentar à Seleção Sub-17, também jogou bem. Após uma lambreta em Gabriel Dias, acabou levando um pé alto no peito. Por conta disso, o lateral do Fortaleza foi expulso, após receber o segundo cartão amarelo.

Ficha técnica
VASCO 1 x 0 FORTALEZA

Hora: 16h (de Brasília)
Estádio: Estádio São Januário, no Rio de Janeiro (RJ)
Juiz: Daniel Nobre Bins (RS)
Assistentes: Leirson Peng Martins e José Eduardo Calza (ambos do RS)
VAR: Leandro Pedro Vuaden (RS)
Público e renda: 11.690 pagantes e R$ 442.325,00 de renda
Gol: Yago Pikachu (Vasco), aos 21 minutos do segundo tempo
Cartões amarelos: Osvaldo, Adalberto, Gabriel Dias e Wellington Paulista (Fortaleza); Oswaldo Henríquez e Fellipe Bastos (Vasco)
Cartão vermelho: Gabriel Dias (Fortaleza)

VASCO
Fernando Miguel, Yago Pikachu, Oswaldo Henríquez, Leandro Castan e Henrique; Andrey (Fellipe Bastos), Richard e Marrony (Marcos Júnior); Rossi, Ribamar (Felipe Ferreira) e Talles Magno. T.: Vanderlei Luxemburgo

FORTALEZA
Marcelo Boeck, Gabriel Dias, Paulão, Jackson (Adalberto) e Carlinhos; Felipe, Juninho, Edinho (Matheus Alessandro) e Osvaldo; André Luís e Wellington Paulista. T.: Rogério Ceni

Continue lendo

FUTEBOL

Bruno Henrique marca duas vezes e o Flamengo vence

Publicado

em

Foto: Reprodução / Fonte: *Folhapress

Em um jogo disputado na Arena da Baixada, o Flamengo visitou neste domingo (13) o Athletico, e saiu festejando. Com dois gols de Bruno Henrique, o Fla venceu por 2 a 0 e voltou a abrir oito pontos para o Palmeiras.

Os cariocas abriram a contagem e conseguiram suportar a pressão dos donos da casa, que tiveram a maior parte das ações, mas não conseguiram sair da armadilha dos visitantes, que se armaram para defender e sair em velocidade quando a bola era retomada. No fim do jogo, Bruno Henrique liquidou a fatura.

Na próxima rodada, o Fla visita na quarta-feira (16) o Fortaleza, 20h, no Castelão. O Furacão, por sua vez, encara na quinta-feira (17) o Fluminense, 21h, no Maracanã.

Aos 18 do primeiro tempo, Lucas Silva caiu na área. O juiz marcou o pênalti, o árbitro de vídeo chamou, e a penalidade foi invalidada. Aos 44 minutos, Bruno Henrique abriu a contagem. Bruno Henrique marcou aos 45 minutos do segundo tempo e liquidou o jogo.

Contra uma equipe que também batalhou pela vitória, o Fla fez um duelo franco ante o rival e levou a melhor. A equipe conseguiu suportar a pressão e aproveitou as brechas para sair com velocidade. Quando esteve pressionado, o time se postou e manteve o desenho tático. Mesmo com a pressão contra, a equipe conseguiu suportá-la e manteve o resultado.

FICHA TÉCNICA
ATHLETICO X FLAMENGO

Estádio: Arena da Baixada, em Curitiba (PR)
Horário: às 16h (de Brasília)
Juiz: Braulio da Silva Machado (SC)
Assistentes: Helton Nunes (SC) e Éder Alexandre (SC)
VAR: Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral (SP)
Gols: Bruno Henrique, aos 44 minutos do primeiro tempo; Bruno Henrique, aos 45 minutos do segundo tempo
Cartões amarelos: Everton Ribeiro, Renê, Jorge Jesus, Bruno Henrique (FLA); Citadini, Rony, Thiago Heleno (CAP)
Cartões vermelhos:

ATHLETICO
Léo; Madson, Leo Pereira, Thiago Heleno e Márcio Azevedo (Adriano); Wellington, Lucho González (Marco Rúben) e Léo Cittadini; Rony, Thonny Anderson e Marcelo Cirino. T.: Tiago Nunes

FLAMENGO
Diego Alves; Rafinha (João Lucas), Rhodolfo (Thuler), Pablo Marí e Renê; Willian Arão, Gerson, Lucas Silva (Piris da Motta) e Everton Ribeiro e Vitinho; Bruno Henrique. T.: Jorge Jesus

Continue lendo

Destaque

Copyright © 2018. A Província do Pará Todos Direitos Reservados . Desenvolvido por Corpes Digital