Conecte-se Conosco

FUTEBOL

A um mês para o início da Série C, Paysandu e Remo aceleram preparação

Pandemia do coronavírus atrapalhou. Clubes priorizam a Série C

Foto: Divulgação / Fonte: O Liberal

Publicado

em

A pandemia do novo coronavírus paralisou as atividades presenciais dos clubes paraenses em mais de três meses.  Como foi ‘atropelado’, o calendário oficial da temporada 2020 lida com definições recentes que exigem planejamento. A mais recente foi o início da Série C do Campeonato Brasileiro no dia oito de agosto, a menos de um mês, o que impacta os dois principais times do Estado: Paysandu e Remo. 

A competição é tratada com prioridade absoluta pelo clubes, cujos gestores reafirmam o fato frequentemente. Ambos sonham com o acesso à Série B do Brasileirão, gerando uma alternativa técnica e financeira considerável. 

Para atingir o objetivo máximo, os clubes entram numa fase que engloba acelerar a preparação objetivando, prioritariamente, a competição nacional. No entanto, cada clube tem a sua ressalva.     

Paysandu 

O presidente bicolor, Ricardo Gluck Paul, alegou que o retorno presencial dos treinos, que se deu no último dia 29 de junho, foi essencial. “Isso foi previsto pelo Paysandu lá atrás”. 

O gestor também previu o conflito com as datas do Campeonato Paraense 2020, ainda não encerrado justamente em função da suspensão dos jogos oficiais. “O que há é um problema novo que é o Estadual com datas sobrepondo na Série C, com as final e semifinais de campeonato”, alertou. 

Segundo ele, o fato do calendário, no momento, marcar seis partidas do Estadual, além de quatro compromissos pela Série C, para o mês de agosto, pode ser um fator prejudicial. “Podemos lidar com 10 jogos em agosto. É para arrebentar qualquer um, ainda mais em início de temporada”, ressaltou, preocupado com os riscos de contusão. “Naturalmente, precisa de um elenco maior. Agora cadê recurso? Sem bilheteria, sem cota de participação. No final, os clubes que lutem! Lamentamos que tenha um Estadual no meio disso. Considero que isso pode gerar até um desequilíbrio técnico. Ou seja, disputar um campeonato paralelo, disputando com equipes que estão leve, descansando”.

Remo

Do lado azulino, o presidente azulino, Fábio Bentes, observa as perspectivas para o início do Brasileirão. “A melhor possível. Mantivemos uma base desde o ano passado. Estamos melhor preparados para o acesso. Trocamos o treinador visando esse projeto do acesso. O Mazola é experiente, conhece bem a divisão, sabe o que é subir e tem um relacionamento com os jogadores”, afirmou.

O Remo vive um processo novo, sendo que Fábio Bentes classificou como uma ‘pequena reformulação’. “Seis (jogadores) saíram, três foram contratados e mais três estão entrando até o Campeonato Brasileiro”, colocou, deixando claro que o clube fará contratações em busca de dois objetivos ousados. “É uma mudança em 20% do elenco, mantendo uma base, que montamos para o Estadual. A Série C vai ser a nossa grande prioridade. As nossas energias estão voltadas para o acesso. Agora, também não vamos abrir mão de lutar pelo tricampeonato estadual”, finalizou. 

Por Nilson Cortinhas

Copyright © 2018. A Província do Pará Todos Direitos Reservados . Desenvolvido por Ideia Virtual