Conecte-se Conosco

UFC

André Sergipano comemora vitória no UFC e faz planos com o prêmio recebido: “Sair do aluguel”

André Sergipano — Foto: Marcelo Barone

Publicado

em

O peso-médio André Sergipano conseguiu sua segunda vitória em duas lutas no UFC ao bater o polonês Bartosz Fabinski, no último sábado, com uma chave de braço em menos de três minutos de luta. A rapidez e a beleza da finalização renderam ao brasileiro o prêmio de “Performance da Noite”, no valor de 50 mil dólares – cerca de R$ 270 mil.

Contratado por Dana White há pouco mais de um ano, o brasileiro disse em entrevista exclusiva ao Combate.com que pretende levar mais duas vitórias nos próximos confrontos para continuar dentro do maior evento de MMA do mundo, além de já ter planos para o dinheiro extra que cairá na conta.

– A “Performance da Noite” ajuda na renovação do contrato. Foi a minha segunda luta e acho que o objetivo de todo mundo que chega no UFC é passar pelo primeiro contrato, porque (o atleta) dá uma firmada na organização. Meu pensamento não é diferente. Já que eu impressionei a ponto de ganhar o bônus… é um bom sinal. Venho de duas vitórias e tenho mais duas lutas no contrato atual. Já o bônus a gente nunca espera ganhar, levar esse valor. A gente está acostumado a lutar no Brasil recebendo bolsas bem mais baixas, a gente não sabe nem o fazer com essa “dinheirama” toda. Mas desde que eu entrei no UFC tenho só um pensamento que é comprar minha casa e sair do aluguel. Assim que receber esse dinheiro, quero dar entrada na minha casa ou comprar um lote pra construir.

Antes da luta, Sergipano comentou que esperava um confronto em pé e havia treinado bastante a trocação durante o camp. No sábado, entretanto, aconteceu o oposto: em quinze segundos, Fabinski já tentou derrubar o brasileiro, que se de defendeu bem e ficou com as costas na grade, resistindo à pressão por quase dois minutos. Quando sentiu a possibilidade de encaixar uma guilhotina, André levou o polonês para o chão. Fabinski conseguiu soltar o pescoço, mas logo foi pego numa chave de braço que encerrou o duelo – Sergipano tem origem no jiu-jítsu e 13 vitórias por finalização no MMA.

– Eu tinha treinado muita defesa de queda, tenho bons colegas de grappling e wrestling na academia, uma base muito forte. Ele entrou logo no início, já armei a defesa e estava confortável na posição com as costas na grade. Ele afundou muito a cabeça para entrar em um double leg e eu saí na lateral, dando um scroll saindo da grade. Normalmente quando a pessoa vai levantar ela usa a cabeça como impulso, e eu senti que tinha laçado bem o pescoço dele – analisou André.

Melhores momentos: André Sergipano x Bartosz Fabinski, pelo UFC Overeem x Sakai

Melhores momentos: André Sergipano x Bartosz Fabinski, pelo UFC Overeem x Sakai

A luta rápida e com poucos golpes fortes rendeu a Sergipano a possibilidade de voltar a lutar em breve. Sem lesões ou cortes profundos, o brasileiro pretende pisar no octógono o mais depressa possível. Antes disso, há espaço para algumas semanas de descanso junto da família. Três dias após a luta, o atleta já está em Montes Claros, cidade onde nasceu, ao norte de Minas Gerais, e aproveita o tempo que passa com a esposa e as duas filhas, uma de 1 ano e outra de 3.

– É muito bom lutar sem se machucar e sem machucar o adversário. Encaixei a chave, estava bem justa, até virei para o juiz e falei que (o Fabinski) já tinha batido para não precisar estourar o braço dele. Estou 100%. Só vou dar uma descansada e aproveitar minha família, minhas filhas que são pequenas, nesse mês de setembro. Mas eu pedi luta já. Quem sabe pinta algo para mim em novembro ou dezembro e a gente volta a trabalhar logo. Nesta semana eu vou descansar totalmente, o corpo e a mente. Na próxima semana volto aos treinos gradualmente e na terceira já volto 100% – disse o peso-médio.

André está em busca de sua primeira luta contra um atleta ranqueado, mas disposto a encarar qualquer oponente que o UFC sugerir. Após ganhar a luta, ainda dentro do octógono, ele fez questão de lembrar sua cidade natal com uma frase que parece ter virado lema: “de Montes Claros para o mundo”. Desde sábado, Sergipano fez três publicações em seu perfil no Instagram sobre a vitória, e em todas escreve a mesma frase, além de criar a hashtag #democparaomundo. Ele comentou o carinho pelo lugar.

– Sempre dou valor à minha cidade porque as pessoas têm muito carinho por mim. O pessoal acompanha a minha trajetória desde que comecei a lutar aqui, quando meu professor realizava os primeiros eventos da cidade. Estando ou não no UFC, a galera sempre me apoiou. Ao chegar no UFC você se torna um espelho… aquele cara que veio de baixo, sem condição financeira e estrutura nenhuma, e chegou no ápice do esporte mundial. Tento mostrar isso, bater no peito e mostrar de onde eu vim, dizer que é possível um sonho se tornar realidade. Um garoto do interior do norte de Minas, uma região carente de recursos, não só na área de esporte mas também em educação, lazer, segurança. Mesmo assim o cara está lá entre os melhores do mundo batalhando e vencendo. Um atleta de alto nível tem de ser um espelho para crianças, adolescentes e ter orgulho disso. Eu tenho orgulho da minha cidade.

* Estagiário, sob supervisão de Gleidson Venga

Copyright © 2018. A Província do Pará Todos Direitos Reservados . Desenvolvido por Ideia Virtual