Conecte-se Conosco

FUTEBOL

Brasil bate Coreia do Sul, encerra jejum e alivia pressão sobre Tite

Publicado

em

Foto: Reprodução / Fonte: Notícias ao Minuto

Depois de acumular cinco jogos sem vitórias, em um jejum que começou após a conquista do título da Copa América, em julho, a seleção brasileira finalmente voltou a ganhar. Justamente no último amistoso de sua temporada, a equipe comandada por Tite derrotou a Coreia do Sul por 3 a 0, nesta terça-feira, em Abu Dabi, nos Emirados Árabes Unidos.

O triunfo era tido como fundamental para o treinador e o duelo com os sul-coreanos passou a ter um peso ainda maior depois que, na última sexta-feira, a equipe nacional foi superada pela rival Argentina por 1 a 0, em Riad, na Arábia Saudita. Depois daquele revés, o comandante começou a admitir que estava sob pressão no seu cargo, no qual agora volta a respirar aliviado ao fechar o ano de forma positiva.

Antes deste clássico com os argentinos, o Brasil já havia acumulado três empates (2 a 2 com a Colômbia e 1 a 1 com Senegal e Nigéria) e ainda foi batido pelo Peru por 1 a 0. A última vitória da seleção havia sido conquistada na decisão da Copa América, no dia 7 de julho, quando derrotou os peruanos por 3 a 1, no Maracanã.

E o triunfo em Abu Dabi também impediu que o Brasil superasse a sua maior sequência sem vencer com sua equipe principal desde 2013, que foi igualada com o revés sofrido diante da Argentina. Entre o final da passagem de Mano Menezes e o retorno de Felipão ao comando da equipe nacional, o time nacional acumulou empates com Colômbia, Itália e Rússia, além de derrotas para Argentina e Inglaterra, em uma série iniciada no fim de 2012 e completada no início do ano seguinte.

Do outro lado, a Coreia do Sul, comandada pelo português Paulo Bento, perdeu uma invencibilidade que já durava nove jogos, com cinco vitórias e quatro empates depois de ter sido superada pelo Catar por 1 a 0, em janeiro, nas quartas de final da Copa da Ásia.

BRASIL RESSURGE – Com cinco mudanças na escalação titular em relação ao time que começou o duelo com a Argentina na sexta-feira, a seleção brasileira finalmente conseguiu resgatar um pouco do seu bom futebol, que não foi visto nos cinco amistosos anteriores. Sem o lesionado Alex Sandro, fora por lesão muscular, além dos sacados Thiago Silva, Casemiro, Willian e Roberto Firmino, Tite mandou a sua equipe a campo no Estádio Mohammed Bin Zayed com Renan Lodi, Marquinhos, Fabinho, Philippe Coutinho e Richarlison como novidades na formação.

Destes nomes escalados no duelo que foi acompanhado por um público muito pequeno em Abu Dabi, destaque maior para Renan Lodi, que mostrou desenvoltura na lateral esquerda e deu dois passes que resultaram em gols brasileiros. O primeiro deles saiu já aos 8 minutos, quando o jogador do Atlético de Madrid trocou passes com Coutinho e cruzou para Lucas Paquetá, na pequena área, cabecear no canto direito do goleiro Jo Hyeon-Woo para abrir o placar.

Na seleção asiática, a principal esperança de gol era depositada no atacante Son Heung-Min, do Tottenham, que exigiu boa defesa de Alisson aos 14 minutos e depois levou perigo aos 21 em nova finalização forte.

Passados os dois sustos, o Brasil ampliou o placar aos 35 minutos. Philippe Coutinho, que vinha de um jejum de dez jogos sem marcar pela seleção, aproveitou bem uma falta frontal ao cobrá-la com categoria e acertar o ângulo direito de Jo Hyeon-Woo. A equipe nacional também não marcava um gol de falta desde 5 de setembro de 2014, quando Neymar garantiu, por meio de uma bola parada, o triunfo por 1 a 0 sobre a Colômbia em um amistoso nos Estados Unidos.

Curiosamente, o mesmo Coutinho quase fez um gol contra pouco depois, aos 41 minutos, em um lance no qual se atrapalhou e acabou dando sorte. Após finalização de Jung, Alisson deu rebote e a bola sobrou para o meio-campista do Brasil, que tentou tocar a bola para escanteio, mas viu a mesma bater no pé da trave e voltar nos seus pés antes de ele conseguir afastar o perigo.

Mesmo com a confortável vantagem de 2 a 0, Tite optou por ser conservador ao voltar para a etapa final com a mesma equipe. Mais preocupado com a necessidade de conquistar uma vitória do que com a oportunidade de testar jogadores convocados, ele só foi promover a primeira substituição aos 35 minutos, trocando Arthur por Douglas Luiz. Depois, ele tirou Paquetá, Gabriel Jesus e Lodi, substituídos respectivamente por Firmino, Rodrygo e Emerson, mas todos tiveram muito pouco tempo para mostrar serviço.

Bem antes destas substituições, o Brasil achou o caminho do terceiro gol aos 14 desta etapa final, quando Lodi mostrou visão de jogo ao fazer um passe rasteiro que atravessou quase toda a grande área e encontrou Danilo, que vinha de trás e acertou forte chute de fora da área para ampliar para 3 a 0. O goleiro sul-coreano ainda tocou na bola, mas não conseguiu impedir a entrada da mesma em sua meta.

A equipe asiática ainda teve Son voltando a dar trabalho a Alisson em uma finalização aos 29 minutos, mas ficou longe de ameaçar o domínio da seleção brasileira, que após fechar a sua temporada agora terá como próximos desafios as duas primeiras rodadas das Eliminatórias Sul-Americanas da Copa do Mundo de 2022, em março. A Conmebol ainda não divulgou a tabela do qualificatório para o Mundial.

FICHA TÉCNICA:

BRASIL 3 X 0 COREIA DO SUL

BRASIL – Alisson; Danilo, Marquinhos, Eder Militão e Renan Lodi; Fabinho, Arthur (Douglas Luiz) e Lucas Paquetá (Roberto Firmino); Philippe Coutinho, Gabriel Jesus e Richarlison. Técnico: Tite.

COREIA DO SUL – Jo Hyeon-Woo; Kim Moon-Hwan, Kim Young-Gwon, Kim Min-Jae e Kim Jin-Su; Lee Jae-Sung (Kwon Chang-Hoon), Jung Woo-Young e Ju Se-Jong; Hwang Hee-Chan (Na Sang-Ho), Son Heung-Min e Hwang Ui-Jo. Técnico: Paulo Bento.

GOLS – Lucas Paquetá, aos 8, e Philippe Coutinho, aos 35 minutos do primeiro tempo; Danilo, aos 14 do segundo.

ÁRBITRO – Ammar Al-Jeneibi (Fifa/Emirados Árabes Unidos).

CARTÕES AMARELOS – Hwang Hee-Chan (Coreia do Sul).

PUBLICO E RENDA – Não disponíveis.

LOCAL – Estádio Mohammed Bin Zayed, em Abu Dabi (Emirados Árabes Unidos).

FUTEBOL

Ingressos do Santos para jogo com o Flamengo se esgotam

Publicado

em

Foto: Reprodução / Fonte: *Folhapress

A Vila Belmiro estará lotada para a despedida do Santos na temporada de 2019. O clube alvinegro anunciou na manhã desta sexta-feira (6) que não há mais ingressos para o duelo de domingo (8) contra o Flamengo, a partir das 16h, pela última rodada do Campeonato Brasileiro.

– ESGOTADOS! 11.500 ingressos vendidos para o #SANxFLA. Domingo tem alçapão cheio na última partida do Peixe em casa! – divulgou o clube nas redes sociais.

Além de se despedir de sua torcida no ano, o Santos encara o campeão brasileiro buscando o vice-campeonato. Para isso, basta vencer os cariocas, uma vez que o Palmeiras, o terceiro colocado, apesar de somar o mesmo número de pontos que os santistas (71), tem um triunfo a menos, critério de desempate.

Ainda nesta sexta, o Santos realizou seu penúltimo treino antes do jogo. Fora da atividade, o goleiro Everson, com dores no tornozelo esquerdo, fez trabalhos na academia. Ele foi acompanhado por Evandro, que também é dúvida. Luan Peres e Felipe Jonatan, suspensos, são desfalques certos para a partida.

Continue lendo

FUTEBOL

Mundial adia a decisão sobre o futuro de Gabigol e Jorge Jesus

Publicado

em

Foto: Reprodução / Fonte: *Folhapress

Na goleada do Flamengo por 6 a 1 sobre o Avaí, um clima de despedida envolveu a noite chuvosa no Maracanã. Não apenas pela última apresentação rubro-negra em sua casa no já inesquecível 2019, mas também porque Gabigol e Jorge Jesus podem ter vivido seus últimos momentos diante da Nação.

Pendências mais urgentes do clube para esta reta final de ano, o artilheiro e o comandante ainda estudam o futuro e podem emplacar 2020 em novos ares. Por incrível que pareça, a disputa do Mundial de Clubes joga “contra” o Fla, que terá de ver o fim dessas novelas adiadas por conta da disputa em Doha.

Tão logo marcou o terceiro gol rubro-negro, Gabigol foi em direção à torcida, ajoelhou e beijou o gramado. Ao som de um pedido quase uníssono de “fica”, o jogador mandou beijos para a arquibancada e ensaiou aquele que pode ter sido seu último ato.

– Fui muito feliz no Maracanã, é a minha casa. Não tem pressa, estamos tranquilos. Ainda temos o Mundial, a prioridade sempre será do Flamengo. Sobre o beijo no gramado, foi apenas um gesto de retribuição – despistou ele.

Com contrato até 31 de dezembro, Gabriel balança entre o sonho europeu e a idolatria encontrada no Rio. Não é segredo para ninguém que o atacante aguarda propostas de gigantes do Velho Continente, mas essas ofertas desejadas ainda não chegaram.

Ao passo que vê o tempo correr, o Flamengo já acenou para a Internazionale de Milão, dona dos direitos do atleta, que tem caixa para comprar 80%, operação que não sairia por menos de R$ 90 milhões.

Apesar de uma ligeira aflição gerada pela indefinição da permanência do astro, que entrou no gramado rodeado por dezenas de crianças, o clube entende que tem bala na agulha para sonhar alto no mercado se essa negociação for por água abaixo.

Ainda mais ovacionado que o jogador, Jesus também mantém certo mistério sobre sua continuidade, ainda que o contrato vá até maio de 2020. Uma cláusula, contudo, permite que o Mister deixe o clube ao final da temporada.

Apesar de repetir que só tratará do assunto quando acabar a competição mundial, o luso tem situação melhor encaminhada para continuar o trabalho que culminou com os títulos do Brasileiro e da Libertadores.

– Treinador não sabe nunca o dia de amanhã. Na minha vida, não tenho tido ‘chicotadas psicológicas’, como chamamos em Portugal. Quando ganha, é o técnico que decide se vai embora. Se perde, é o clube quem decide. Então, estamos sempre em cima do muro – disse o treinador.

Em meio a uma história já recheada por conquistas da dupla, o Flamengo vive dias enredado em novelas com dois de seus expoentes. O desejo na Gávea é que ambas terminem com final feliz.
Com 90 pontos no torneio nacional, o Rubro-Negro encara sua última missão em solo brasileiro em 2019. No domingo (8), a equipe visita o Santos, às 16h, na Vila Belmiro.

Continue lendo

FUTEBOL

Bahia e Vasco empatam em jogo com VAR de protagonista

Publicado

em

Foto: Esporte Clube Bahia Oficial/ Felipe Oliveira / Fonte: *Folhapress

Bahia e Vasco empataram em 1 a 1 nesta quinta-feira (5), na Arena Fonte Nova, em Salvador (BA), em duelo válido pela penúltima rodada do Campeonato Brasileiro. A partida foi marcada por participações importantes do VAR.

O árbitro de vídeo entrou em ação em dois lances de penalidade, assinalando um para o time baiano -convertido em gol por Gilberto- e anulando outro do clube cruzmaltino, ambos no primeiro tempo. O pênalti que rendeu o tento do Bahia ainda causou expulsão de Ricardo Graça, do Vasco.

O gol vascaíno saiu na etapa final, com Marrony, aos 39min, três minutos após Arthur Caíke, do Bahia, receber o segundo cartão amarelo e, portanto, ser expulso.

Ambos os times entraram em campo já classificados para a Copa Sul-Americana de 2020 e disputavam diretamente posições na tabela, o que é importante em termos de premiação ao final da competição.

Com o resultado, os baianos, na 11ª colocação, seguiram um ponto à frente dos cariocas (49 a 48), que caíram para o 13º lugar na tabela.

Na rodada final do Brasileiro, a ser disputada no próximo domingo, às 16 horas, o Bahia visitará o Fortaleza na capital cearense, enquanto o Vasco vai receber a Chapecoense no Maracanã.

BAHIA
Douglas; Nino Paraíba, Lucas Fonseca (Wanderson), Juninho e Moisés; Gregore, Flávio e João Pedro; Artur, Élber (Arthur Caíke) e Gilberto (Fernandão). Técnico: Roger Machado

VASCO
Fernando Miguel, Raul Cáceres (Fellipe Bastos), Werley, Ricardo Graça e Henrique; Richard, Raul (Gabriel Pec), Yago Pikachu e Andrey; Ribamar (Marcos Júnior) e Marrony. Técnico: Vanderlei Luxemburgo

FICHA TÉCNICA
Estádio: Arena Fonte Nova, em Salvador (BA)
Árbitro: Felipe Fernandes de Lima (MG)
Auxiliares: Frederico Soares Vilarinho e Ricardo Junio de Souza (MG)
VAR: Igor Junio Benevenuto de Oliveira (MG)
Cartões amarelos: Arthur Caíke (2) e Douglas Friedrich (BAH); Richard e Fellipe Bastos (VAS)
Cartões vermelhos: Arthur Caíke (BAH); Ricardo Graça (VAS)
Gols: Gilberto (BAH), aos 44min do 1º tempo; Marrony (VAS), aos 39min do 2º tempo

Continue lendo

Copyright © 2018. A Província do Pará Todos Direitos Reservados . Desenvolvido por Corpes Digital