Conecte-se Conosco

MUNICÍPIOS

Hospital Regional do Tapajós dá alta médica para seu primeiro paciente com COVID-19

Diabético e hipertenso, o paciente teve comprometimento acentuado no pulmão de 50 a 75%.

Foto: Reprodução / Fonte: ASCOM HRT

Publicado

em

Segurando uma plaquinha com a frase “Eu venci a COVID-19” e elevando a mão para cima agradecendo pela alta, João Carlos Moraes, 57 anos, morador do distrito de Moraes Almeida, há 300km de Itaituba,  despediu-se na manhã da última quarta-feira (15) da equipe de profissionais do Hospital Regional do Tapajós (HRT), onde ficou internado em um leito da clínica médica por cinco dias.

Com a alta médica, João entra para a história da Unidade como primeiro paciente que recebeu alta. Ao sair do leito onde estava internado, foi recebido pela equipe de plantão que cantou uma estrofe da música “Conquistando o impossível” e o recepcionou com uma salva de palmas.

No andar térreo, João foi novamente recebido por profissionais do setor de acolhimento do Hospital e estes também demonstraram afeto, desejando muita saúde e emocionando o paciente.

Quadro clínico

João é diabético e hipertenso, duas condições que o colocam como grupo de risco da COVID-19. Ele conta que buscou primeiro auxílio médico em um hospital particular da cidade e logo após foi transferido para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) 24h, para depois ser internado no HRT no dia 11 de julho, três dias após a inauguração do Hospital Regional.

Agora, ele volta para casa curado da doença e agradecido pelo atendimento. “Durante os dias que estive internado aqui, considerei todos os profissionais do Hospital como se fossem da minha família, profissionais bem dedicados e só tenho a agradecer a todos, que continuem nessa profissão que é cuidar do ser humano”, agradeceu o paciente.

Com a animação elevada por estar recebendo alta,  João disse que a primeira coisa que ele quer fazer é comer um “filé à parmegiana”. Aproveitou a oportunidade, e mandou uma mensagem especial para a médica que o atendeu, Dra. Luma Thaine, responsável pela clínica médica. “Agradeço a ela, uma doutora muito especial e que seja muito feliz no trabalho dela. Que continue sendo a profissional que ela é”, pontuou.

Luma, por sua vez, afirmou que a alta do paciente é uma conquista para toda a equipe, visto que o paciente chegou com o comprometimento pulmonar acentuado  de 50 a 75%. “Que agora, depois de passar por esse desafio, ele possa aproveitar a família e ter uma nova perspectiva, cuidar das suas demais comorbidades para ter uma vida longa”, desejou.

Muito emocionada, a filha de João, Mônica da Silva Moraes, 33 anos, agradeceu a todos os profissionais que estiveram envolvidos no atendimento do seu pai. Ela conta que ele recebeu a assistência devida desde a transferência para o HRT até o momento da sua alta, com as orientações e explicações médicas. “Só tenho que agradecer porque eles foram uma equipe maravilhosa, sempre compreensivos, dedicados e atenciosos com ele e com toda a família. Aqui foi o melhor atendimento ofertado para o meu pai”, destacou.

Por: Douglas Gomes

Copyright © 2018. A Província do Pará Todos Direitos Reservados . Desenvolvido por Ideia Virtual