Conecte-se Conosco

PARÁ

Pesquisa com testes de covid-19 chegou a seis municípios do interior do Pará nesta segunda (06)

Fonte/Foto: O Liberal

Publicado

em

Começou, nesta segunda-feira (06), em seis municípios do interior do Pará, a segunda fase da pesquisa epidemiológica com testes rápidos de covid-19 que o governo do Pará realiza nas oito regiões de regulação. Os resultados do estudo “Evolução da Prevalência de Infecção por Covid-19”, que visa identificar o quantitativo de pessoas infectadas ou não pelo novo coronavírus, além de medir a expansão da pandemia em Belém e municípios do interior, vão subsidiar o planejamento, assim como a implementação de políticas públicas para o enfrentamento da doença em todas as regiões do Estado.

Nesta segunda, a testagem chegou às seguintes regiões e cidades: Baixo Tocantins (Abaetetuba); Nordeste (Castanhal e Paragominas); Carajás (Tucuruí); e Araguaia (Conceição do Araguaia e Santa Maria das Barreiras). Já nesta terça-feira (07), os trabalhos vão começar nas seguintes localidades: Marajó Ocidental (Portel e Curralinho); Nordeste (Ourém, Tracuateua e Viseu); e Xingu (Altamira, Pacajá, Uruará e Medicilândia).  

“Ainda entre esta segunda (6) esta terça (7), teremos alunos em deslocamento para os demais municípios. As demais cidades iniciam a coleta na quarta-feira, dia 8, devido à questão das distância entre os municípios”, informou a assessoria da Universidade do Estado do Pará (Uepa), que coordena o projeto junto a técnicos da Secretaria de Estado de Saúde Pública do Pará (Sespa) e pesquisadores do Instituto Acertar, que é uma instituição da Região Norte especializada em pesquisas quantitativas e qualitativas.

No último sábado (4), encerrou a primeira fase, que tinha começado desde o dia 30 de junho, em Belém e Ananindeua. No entanto, segundo a Uepa, o balanço com os resultados ainda não foi fechado. “Ainda não será possível dar um balanço ou algum resultado, visto que as informações ainda vão ser processadas e os dados tabulados. A previsão para esta etapa, relacionada a Belém e Ananindeua, é em torno de uma semana após o término (finalizou sábado, dia 4/7), para então fazer a análise”, explicou, em nota.

A pesquisa será aplicada em 52 municípios paraenses, escolhidos conforme setores censitários do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em todas as cidades, serão desenvolvidos inquéritos epidemiológicos, tanto na zona rural quanto na urbana.

O levantamento é dividido em duas etapas: a primeira é a aplicação de questionários de múltipla escolha, para identificar o perfil demográfico e socioeconômico da população, assim como a presença ou não de sintomas da doença, a relação com a pandemia e com as medidas de proteção contra o vírus; a segunda é a testagem aleatória para a covid-19, chamada de “Teste do IGG”.

A expectativa é abordar pessoas de ambos os sexos, com idade igual ou superior a 16 anos, residentes nos domicílios de abrangência do estudo.  A pesquisa utiliza os testes rápidos como base, os quais emitem resultados após 15 ou 20 minutos e indicam se a pessoa tem ou não os anticorpos do novo coronavírus. As equipes do Estado devem ficar de 4 a 5 dias em cada região.

Copyright © 2018. A Província do Pará Todos Direitos Reservados . Desenvolvido por Ideia Virtual