Conecte-se Conosco

MARAJÓ

Terminal Hidroviário que recebe embarcações do Marajó será ampliado em 30% capacidade de embarques e desembarques

Fonte/Foto: Agencia Para

Publicado

em

Em razão da grande demanda de usuários, o Terminal Hidroviário de Belém vai ter sua capacidade naval de operação ampliada em 30%. O espaço deve ganhar, em breve, o terceiro conjunto naval, que será instalado em frente ao galpão 10 da Companhia de Docas do Pará (CDP).

Atualmente, o terminal opera com dois conjuntos navais no galpão 9 da CDP. As estruturas compreendem flutuante, plataforma e rampa metálica articulada para embarque e desembarque de passageiros.”Desde julho deste ano, nós percebemos que o Terminal Hidroviário chegou na capacidade de usuários e muitas linhas ainda desejam fazer o percurso da ilha do Marajó e no Baixo Amazonas, por exemplo. Então, sentimos a necessidade de operar com um novo conjunto naval, haja vista que a tendência é de crescimento no modal hidroviário”, explica o presidente da CPH, Abraão Benassuly.

Segundo Benassuly, ao tomar conhecimento dessa necessidade, o governador Helder Barbalho autorizou a elaboração de projeto executivo de construção deste conjunto, para operar no embarque e desembarque de passageiros por meio do galpão 10. A Companhia de Docas do Pará, responsável pelo espaço, já cedeu a área para nova operação naval após um acordo.


O titular da CPH afirma que o terceiro conjunto naval vai proporcionar a criação de mais linhas hidroviárias. Hoje, o terminal recebe até três mil passageiros por dia e cerca de 60 mil por mês. “Com essa ‘janela’ que vamos abrir, teremos a possibilidade de trazer novas linhas para operar e atender melhor o nosso público crescente”, completa Benassuly.
A Companhia de Portos já abriu licitação para contratação de empresa que vai tratar da elaboração do projeto executivo para construção do novo conjunto naval, que prevê flutuante, plataforma e rampa metálica articulada para embarque e desembarque de passageiros. Neste projeto executivo, devem constar as normas e condições necessárias para contratação dos serviços.

“Já estamos em processo de licitação para contratar uma empresa que vai elaborar o projeto executivo e, consequentemente, vamos abrir outra licitação para uma nova empresa realizar a construção deste novo conjunto naval. Esperamos concluir todo esse processo em até 12 meses”, finaliza o presidente da CPH.
O projeto e a construção do novo conjunto naval serão realizados de acordo com as normas e padrões estabelecidos pela Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq).

Continue lendo
Clique para comentar

MARAJÓ

Justiça determina que secretaria contrate professor de libras em Salvaterra

Publicado

em

Fonte: Com Informações do MP-Pa Foto: Reproducao

A Justiça Estadual acatou o pedido da Promotoria de Justiça de Salvaterra e determinou que a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) disponibilize ao estudante deficiente auditivo da Escola Salomão Matos e a todos os alunos da rede estadual de ensino de Salvaterra que se encontrem na mesma situação, professor de Língua Portuguesa habilitado na Língua Brasileira de Sinais (Libras) e intérprete de Libras. Assinada na última segunda (20), a decisão determina o prazo de 30 dias para que seja cumprida, sob pena de multa de R$1 mil por dia de atraso.

A promotora de Justiça de Salvaterra, Paula Suely de Araújo Alves Camacho, ajuizou em novembro a Ação, após receber denúncias de pais de estudantes da Escola Estadual de Ensino Médio Salomão Matos. De acordo com os relatos, um estudante deficiente auditivo de 19 anos de idade estava há dois anos no 1º ano do ensino médio, pois tinha dificuldade de assimilar o conteúdo e não tinha ajuda especializada. A Secretaria de Educação foi acionada duas vezes pelo Ministério Público, mas não respondeu aos ofícios enviados. 


A promotora ressalta o prejuízo intelectual do aluno, que não é capaz de se desenvolver por não ter auxilio profissional. “Nota-se que o Estado do Pará recalcitra em atender de forma plena os ditames da educação inclusiva, pois o aluno com necessidades educacionais especiais está impedido de ter acesso pleno ao currículo escolar, ante a ausência de intérprete de Libras e professor de português habilitado em libras. Isso denota a falta de compromisso do Estado do Pará com a lei, com seus cidadãos”, afirma Paula Camacho.

Continue lendo

MARAJÓ

Promotoria do MPPA acompanha inquérito sobre bebê internada no Marajó

Perícia oficial já descartou rumores sobre suposta violência sexual contra menina recém-nascida

Publicado

em

Foto: Reprodução / Fonte: MPPA

O Ministério Público do Estado do Pará (MPPA) está acompanhando o inquérito policial que apura as ocorrências envolvendo a internação de uma bebê de 15 dias no Hospital Regional Público do Marajó (HRPM), em Breves, no arquipélago do Marajó. Nos últimos dias, circularam notícias afirmando que a criança, que é natural de Portel, foi internada após supostamente sofrer abuso sexual. A informação foi negada por peritos na tarde desta quinta-feira (23).

O promotor de Justiça titular de Portel, Rodrigo Silva Vasconcelos, reuniu, na manhã desta quinta-feira, com a equipe médica do HRPM e com a Polícia Civil, em Breves, para tratar sobre o caso da bebê, que ingressou na unidade de saúde em 17 de janeiro com um quadro clínico de desconforto respiratório, conjuntivite e fissura anal.

A bebê nasceu no Hospital Municipal de Portel, no último dia 8 de janeiro, e foi transferida para Breves, a pedido daquela unidade de saúde, por apresentar desconforto respiratório.

Peritos do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves examinaram a paciente nesta quinta-feira e descartaram estupro e qualquer outro ato libidinoso contra a criança. O laudo registra que a bebê possui uma fissura anal característica de recém-nascidos, que, por amamentarem frequentemente, evacuam várias vezes ao dia, o que pode produzir lesões na região retal.

De acordo com o boletim médico, a criança apresenta quadro clínico estável, com evolução satisfatória e continua internada no HRPM por estar na fase final de tratamento de conjuntivite, que inclui o uso de remédio antibiótico.

A perícia foi solicitada pela delegada Vanessa de Souza, superintendente da Polícia Civil no polo Marajó, que instaurou inquérito para apurar as notícias de suposto abuso sexual contra a bebê.

De posse do laudo emitido pelo Centro de Perícias Científicas Renato Chaves, a polícia vai dar andamento ao inquérito, que será acompanhado pelo MPPA. Uma das atividades previstas é a oitiva do médico, de Portel, que emitiu laudo afirmando que a criança apresentava lesões na região anal por supostamente ter sido vítima de violência sexual.

Texto: Assessoria de Comunicação Social

Continue lendo

MARAJÓ

Ministra Damares anuncia vinda ao Marajó após abuso sexual de recém nascido

Publicado

em

Fonte: Portal Marájo Foto: Reprodução

Com base no exame sexológico forense, foi concluído que os abusos foram recentes e que as lesões eram de “natureza gravíssima”.

“Olha aí queridos, agora entendam porque sou tão agressiva às vezes! Não dá mais para suportar tanto estupro de bebês. Estou indo sábado para o Marajó e vou atrás deste bebê. Se preciso for e se tiver autorização removeremos ela para Belém ou quem sabe até mesmo para Brasília e vamos cuidar dela. Chega!”, disse ela em uma publicação no Facebook. 

Ainda não sabemos se o autor do crime já foi identificado e como andam as investigaçõe, estamos aguardando mais informações.

A criança está internada no Hospital Regional do Marajó, estamos aguardando uma resposta sobre seu estado de saúde.

Continue lendo

Facebook

Propaganda

Copyright © 2018. A Província do Pará Todos Direitos Reservados . Desenvolvido por Corpes Digital