Conecte-se Conosco

ESPORTES

Veja alguns motivos que fizeram Edmundo virar Animal e ídolo eterno no Palmeiras

Fonte: Agência Palmeiras/Divulgação

Publicado

em

Edmundo completou 49 anos de idade na quinta-feira, a maioria deles ligados ao Palmeiras. Há 27 anos, começou uma história que lhe rendeu o apelido de Animal e uma idolatria eterna.Veja algumas razões para isso.

  • Edmundo foi uma das principais contratações da Parmalat, em 1993, e sua chegada é um dos maiores símbolos da retomada do clube, que encerrou naquela temporada um jejum de quase 17 anos sem título.
  • Raça e habilidade. O camisa 7 juntava tudo que um torcedor pode querer. O atacante driblava, debochava de rivais com a bola nos pés, comprava briga e, principalmente, marcava gols, alguns golaços.
  • Título é com ele. Edmundo fez gols nas finais do Rio-São Paulo e do Brasileiro de 1993, deu assistência no gol do título do Brasileiro de 1994 e foi fundamental nas conquistas dos Paulistas de 1993 e 1994.
  • O cara nos clássicos. Edmundo foi decisivo e balançou as redes diante dos maiores rivais do clube. O primeiro gol dele no Palmeiras, inclusive, foi em vitória por 3 a 1 sobre o Santos, em seu quarto jogo no clube, o primeiro clássico que disputou.
  • “De coração, eu queria ter começado no vasco e, depois, ter jogado a vida inteira no Palmeiras. Eu era feliz no Palmeiras e não sabia. Foi o grande erro da minha vida”, disse Edmundo, recentemente, à Fox, ao falar de sua saída em 1995.
  • Edmundo é o 19º maior artilheiro da história do Palmeiras, com 99 gols. A média é de quase um gol a cada dois jogos (atuou 223 vezes). Se contassem assistência nos anos 1990, sua importância seria ainda mais clara nos números.
  • Edmundo nunca escondeu que é vascaíno de infância. Mas, também, que é palmeirense por opção. “Pelo Vasco, sinto amor de mãe. No Palmeiras, é amor de mulher, pois é o clube que conheci quando adulto. Minha afirmação foi aqui. Torcida e a diretoria sempre estiveram ao meu lado. Tenho gratidão por esse clube”, falou ao voltar, em 2006.
  • A segunda passagem de Edmundo não foi só nostálgica. Atuando entre 34 e 35 anos de idade, apenas em 2006 e 2007, é o nono maior artilheiro do clube no século, com 35 gols.
  • O palmeirense que pouco lembrava de Edmundo nos anos 1990 viu sua marca de perto em 4 de março de 2007, com atuação de gala e dois gols em vitória por 3 a 0 sobre o Corinthians.
  • Edmundo deixou o Palmeiras no fim de 2007, mas nunca mais se desligou. É presença fixa em jogos festivos e ainda gera lágrimas em alguns torcedores que enfrentam filas por um autógrafo seu.

Copyright © 2018. A Província do Pará Todos Direitos Reservados . Desenvolvido por Corpes Digital