domingo, julho 21, 2024
Desde 1876

Maníaco do Parque desejava ser mulher e se via em suas vítimas

Conhecido por cometer uma série de assassinatos e estupros contra mulheres entre os anos de 1997 e 1998, o chamado Maníaco do Parque teve o perfil traçado por psicólogos forenses, que chegaram a uma conclusão surpreendente: a de que Francisco de Assis – verdadeiro nome do serial killer – é homossexual e mantinha o desejo oculto de ser uma mulher. Sem saber como lidar com o conflito interno, ele selecionava vítimas que tinham as características que gostaria de ter.

As informações constam no novo livro do jornalista Ullisses Campbell, que será lançado em setembro deste ano na Bienal do Livro em São Paulo. A obra, intitulada Francisco de Assis – o Maníaco do Parque, é o primeiro livro de uma trilogia chamada Homens Assassinos.

Segundo informações adiantadas pelo jornal O Globo, o assassino em série passou pelo Teste de Rorschach na prisão para investigar aspectos de sua personalidade. Esse teste é aplicado em detentos com histórico como o de Francisco, muitas das vezes como forma de apurar se eles podem ser reinseridos na sociedade.

O resultado do teste do Maníaco do Parque revelou “correlação com figuras femininas”; “interesse oculto”; “expressão de inclinação secreta”; “emoções associadas”; e “projeção e reflexão”.

Os especialistas concluíram que o serial killer visava ser uma mulher de cabelos cacheados, de baixa estatura e delicada. Como consequência, era justamente esse o perfil que buscava ao selecionar suas vítimas. Como modus operandi, Francisco se passava por um fotógrafo de uma agência de modelos e seduzia mulheres no Parque Ibirapuera com falsas promessas de trabalho, quando na verdade visava estuprá-las e assassiná-las.

No livro, Campbell conta ter entrevistado sobreviventes e descoberto que boa parte delas relataram não ter sido penetradas durante os estupros, tal como homens com quem Francisco se relacionou. O serial killer tinha fimose secundária, o que lhe causava dores nas relações sexuais.

Campbell também expõe que, quando criança, o Maníaco do Parque foi vítima de abuso sexual por parte de seu tio, o que lhe gerou traumas psicológicos.

Francisco de Assis foi preso em 1998 e acabou condenado por estuprar, torturar e matar ao menos seis mulheres no parque. Atualmente, ele cumpre pena de 268 anos na penitenciária de Iaras, em São Paulo.

Fonte: Pleno News/Foto: Divulgação

artigos relacionados

PERMANEÇA CONECTADO

0FansLike
0FollowersFollow
21,900SubscribersSubscribe
- PUBLICIDADE-
Prefeitura

Mais recentes

×
Pular para o conteúdo