domingo, julho 21, 2024
Desde 1876

Após decisão da Corte, Biden diz que Trump quer ser “ditador”

A decisão da Suprema Corte dos EUA de que presidentes têm direito a um grau significativo de imunidade por ações tomadas no cargo provocou reações imediatas na corrida à Casa Branca. Celebrada pelo republicano, a medida foi rejeitada pela campanha de Joe Biden, que disse que o rival acha que está “acima da lei” e quer ser um “ditador desde o dia 1 de seu eventual governo”.

Por seis votos dos juízes conservadores contra três dos progressistas, o tribunal decidiu que um presidente goza de certa imunidade processual. A conclusão da Suprema Corte prolonga o atraso no processo criminal de Washington contra Trump por acusações de que ele planejou reverter sua derrota na eleição de 2020 e acabou com qualquer perspectiva de que o ex-presidente pudesse ser julgado antes de novembro.

Assim, a conclusão do tribunal é mais uma revés para os democratas em um momento de crise, após o fraco desempenho de Biden no debate da última quinta-feira (27). A campanha do atual presidente afirmou que a decisão da Suprema Corte “não muda os fatos” sobre os eventos de 6 de janeiro de 2021.

– Trump já está concorrendo para presidente como um criminoso condenado pela mesma razão pela qual ficou sentado de braços cruzados enquanto a multidão atacava violentamente o Capitólio: ele pensa que está acima da lei e está disposto a fazer qualquer coisa para ganhar e manter o poder para si mesmo – disse a campanha de Biden e Kamala Harris.

Em um pronunciamento na Casa Branca, Biden condenou a decisão dizendo que “quase certamente significa que virtualmente não há limites para o que o presidente pode fazer”.

– Este é um princípio fundamentalmente novo e é um precedente perigoso, porque o poder do cargo não será mais limitado pela lei, incluindo até mesmo a Suprema Corte dos EUA – disse Biden.

– Os únicos limites serão auto impostos pelo próprio presidente.

Segundo Biden, a decisão significa que “qualquer presidente, incluindo Donald Trump, estará agora livre para ignorar a lei”.

Diversos democratas criticaram a decisão. As críticas democratas reiteraram os argumentos dos três juízes liberais que discordaram da decisão do entendimento da maioria conservadora.

*AE

Fonte: Pleno News/Foto: EFE/EPA/WILL LANZONI/CNN PHOTOS

artigos relacionados

PERMANEÇA CONECTADO

0FansLike
0FollowersFollow
21,900SubscribersSubscribe
- PUBLICIDADE-
Prefeitura

Mais recentes

×
Pular para o conteúdo