segunda-feira, abril 22, 2024
Desde 1876

Mestres de Capoeira culturalmente reconhecidos em Ananindeua

Com o objetivo de fomentar as tradições, disseminar e transmitir saberes, celebrações e formas de expressões que compõem o patrimônio cultural imaterial de Ananindeua em toda a sua diversidade, a Prefeitura Municipal, por meio da Secretaria de Cultura (SECULT), reuniu na última quarta-feira, 28, com os mestres de capoeira para debater sobre o reconhecimento desse grupo.

“Em Ananindeua, existem diferentes grupos de capoeira em condições socioeconômicas diversas, processos históricos específicos e localizados de maneira espalhada na cidade. Desta forma, neste primeiro momento estamos ouvindo as demandas dos capoeiristas, principalmente os mestres dessa prática cultural, conhecendo suas histórias e dificuldades na falta de um reconhecimento institucional, de uma declaração de reconhecimento que comprove que eles são mestres de capoeira e fazedores de cultura”, ressaltou a titular da SECULT, Ediene Santos.

Em Ananindeua existem cerca de 70 mestres de capoeira que lutam pelo reconhecimento como agentes culturais, como é o caso do Carlos Travassos, mais conhecido como mestre Geleia. “Tenho 44 anos na capoeira e essa reunião já está representando uma conquista, embora eu saiba que é apenas o primeiro passo na busca do nosso reconhecimento. Pedimos respeito. O trabalho de um mestre de capoeira é árduo. A capoeira está diretamente ligada à história do Brasil e aqui em Ananindeua não é diferente. É importante que sejamos valorizados e o mestre de capoeira reconhecido”, disse.

A reunião também contou com representantes da Federação Paraense de Capoeira e do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), que juntos com a SECULT irão analisar como será realizado o reconhecimento dos mestres e das mestras de capoeira da cidade.

HISTÓRICO

A capoeira surgiu no século XVII no Brasil, em pleno período escravista, e se desenvolveu como forma de sociabilidade e solidariedade entre os africanos escravizados, uma estratégia para lidar com o controle e a violência que sofriam. Atualmente, é um dos maiores símbolos da identidade brasileira e está presente em todo território nacional.

A capoeira surgiu no século XVII no Brasil, em pleno período escravista, e se desenvolveu como forma de sociabilidade e solidariedade entre os africanos escravizados, uma estratégia para lidar com o controle e a violência que sofriam. Atualmente, é um dos maiores símbolos da identidade brasileira e está presente em todo território nacional.

Imagens: Asco/PMA

artigos relacionados

PERMANEÇA CONECTADO

0FansLike
0FollowersFollow
21,600SubscribersSubscribe
- PUBLICIDADE-
Governo do Estado
banpara

Mais recentes

×
Pular para o conteúdo