quarta-feira, maio 22, 2024
Desde 1876

Paysandu sai na frente do Remo, no primeiro duelo da final do Parazão no Mangueirão

O Paysandu foi pra cima do Remo com vontade de ganhar e dominou no primeiro tempo. O resultado foi a abertura do marcador logo aos primeiros minutos do primeiro tempo. No retorno do intervalo, a nação bicolor fez o segundo gol e, assim, já está na vantagem para o jogo de volta, no próximo domingo, 14. Antes, as duas equipes voltam a se enfrentar, na quarta-feira, na disputa de vaga na final da Copa Verde. Nunca houve tanto RE-PA seguido como neste ano.

A partida da tarde deste domingo, 07, no Estádio Olímpico do Pará Jornalista Edgar Proença, o Mangueirão, teve a cobertura lance a lance da equipe dos titulares do esporte da Super Rádio Marajoara AM-1.130, em cadeia com a Rede Marajoara de Comunicação, A PROVÍNCIA DO PARÁ On-Line, patrocínio do sempre Avistão, 52 anos vendendo na esquina da economia, Senador Manoel Barata com Padre Eutíquio, no coração do centro comercial de Belém. As empresas são do Grupo Carlos Santos, o amigo do povo.

O jogo foi marcado por confusões e três expulsões, além de queixas contra a arbitragem.

No próximo domingo, Remo e Paysandu se enfrentam novamente. Em caso de empate, o campeão será conhecido na cobrança de penalidades, sendo que o Papão pode perder por até 1 a 0 que fica com o título do Campeonato Paraense de Futebol Profissional – Parazão 2024.

Houve expulsões e os gols foram marcados pelos bicolores Jean Dias e por Esli García.

Diante do resultado, o técnico bicolor Hélio dos Anjos mantém a invencibilidade em clássicos RE-PA e o técnico azulino Gustavo Morínigo perde a invencibilidade à frente da equipe.

Os dois times começaram o jogo com bastante movimentação e muitas mudanças. O Paysandu iniciou no ataque com algumas ameaças ao Remo, contudo, a primeira finalização da partida foi azulina.

Paulinho Curuá deu passe para Sillas pelo lado direito. O meia cruzou para Thalys que chutou em direção ao gol, mas a bola foi para fora. 

Após isso, o Paysandu passou a ter mais controle da posse de bola e do jogo. O clube bicolor conseguiu se infiltrar no campo do adversário com mais precisão e volume.

O placar de A PROVÍNCIA DO PARÁ foi aberto aos 17 minutos do primeiro tempo pelo Papão. Nathan falhou na saída de bola azulina, Nicolas recuperou para o Bicola, passou para Edinho, que cruzou para Jean Dias. O atacante superou dois marcadores do Leão Azul e chutou por baixo do goleiro Marcelo Rangel, deixando a Fiel em estase.

O Remo tentou responder à altura. No ataque, Thalys cruzou para Pavani, que tentou uma bela bicicleta, mas, a finalização passou por cima da trave de Matheus Nogueira.

O Paysandu fez o primeiro gol e seguiu com mais organização em campo, tendo mais posse de bola e infiltrações na defesa do Remo. Enquanto isso, o Leão Azul tentava achar espaço para atacar o Bicola, mas, sem tanta efetividade. 

Com o passar do jogo, os times diminuíram o ritmo, contudo o Papão seguiu com mais domínio em campo. O Leão sofreu para fazer a transição do meio de campo para o ataque, sentindo com falta de velocidade nos lançamentos.

No final do primeiro tempo, o Remo até chegou mais forte ao ataque bicolor. Nathan chegou pela direita e chutou para o gol, Matheus Nogueira defendeu e a bola foi pela linha de fundo.

FASE COMPLEMENTAR

Gustavo Morínigo optou por fazer duas mudanças após o intervalo. Ele tirou o atacante Echaporã para colocar Kelvin e colocou Matheus Anjos no lugar de Renato Alves. As modificações foram uma tentativa dar mais movimentação e efetividade para o time azulino. 

O Remo começou mais intenso. Precisando do empate, o Leão Azul saiu mais para jogo nos primeiros minutos da segunda etapa, com mais acertos de passes e controle da bola, no entanto, sem consistência.

BAIXA

O jogo ficou mais pegado entre as equipes, com faltas dois lados. Em uma dessas, o lateral-esquerdo Nathan acabou levando o segundo amarelo na partida e foi expulso.

Mesmo com um a menos em campo, o Leão Azul não se fechou em campo. A equipe azulina teve um bom momento com um contra-ataque de Thalys, que arrancou e cruza a bola para pequena, no entanto, a zaga bicolor tirou.

Apesar do melhor momento do Remo no jogo, o Paysandu teve uma bela chance de ampliar o placar. Em cobrança de falta, Biel fez um bom cruzamento para Nicolas, que pouco fez na partida por conta da marcação pesada. O atacante finalizou de cabeça, mas, a bola bateu na trave. 

O Leão Azul começou a sentir o desgaste físico e diminuiu o ritmo. O jovem Esli García, que havia acabado de entrar, recebeu pelo lado esquerdo e finalizou para o gol. No entanto, Marcelo Rangel estava atendo e mandou para escanteio. 

Em uma resposta, Kelvin chutou bem colocado de fora da área. Matheus Nogueira se esticou e defendeu, mandando a bola para fora.

Além disso, o Remo ainda teve um segundo jogador expulso. Paulinho Curuá ainda levou vermelho após uma entrada dura em Biel, no final do confronto, desfalcando, ainda mais, o time. 

GOLPE DE MISERICÓRDIA

O Paysandu ainda aumentou a vantagem para o jogo de volta. O meia Biel chutou forte para o gol, Marcelo Rangel tocou na bola, mas ela passou por ele e Esli Garcia empurrou para dentro da rede, fazendo 2 a 0. 

BRIGA

O jogo também ficou marcado pela confusão em campo entre jogadores e comissões técnicas. No final da partida, Leandro Vilela fez falta dura contra um atleta do Remo e ascendeu uma grande briga entre os azulinos e bicolores.  

Tapas e socos foram registrados pela transmissão da partida. Em um momento da confusão, o diretor de futebol do Remo Sérgio Papellin foi para cima da arbitragem do jogo. A briga foi controlada após alguns minutos. O árbitro foi chamado para o VAR para analisar o lance da falta de Leandro Vilela e após isso, decidiu expulsar o volante do Paysandu.

Imagens: Jorge Luís Totti/Agência Paysandu

artigos relacionados

PERMANEÇA CONECTADO

0FansLike
0FollowersFollow
21,800SubscribersSubscribe
- PUBLICIDADE-
Prefeitura
Banpara

Mais recentes

×
Pular para o conteúdo