quarta-feira, maio 29, 2024
Desde 1876

Netanyahu diz que vitória está próxima; Israel retira parte das tropas de Gaza

Autoridades militares disseram no domingo, 07, que Israel está retirando parte das tropas de Khan Yunis, no sul de Gaza, dizendo que encerrou a sua missão na região, no dia em que a guerra contra o Hamas atingiu a marca de seis meses. “A 98ª Divisão de Comando concluiu a sua missão em Khan Yunis”, disse o exército num comunicado. “A divisão deixou a Faixa de Gaza para se recuperar e se preparar para operações futuras.”

Um contingente significativo das Forças de Defesa de Israel continuará a operar no enclave, disse Israel no comunicado.

O jornal israelita Haaretz, citando um oficial, informou que os palestinos anteriormente deslocados de Khan Yunis poderão agora regressar às suas casas a partir de Rafah, ao longo da fronteira com o Egito, onde estão abrigados. Partes de Khan Yunis foram reduzidas a escombros.

O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu disse neste domingo que Israel está “a um passo da vitória” na sua guerra contra o Hamas em Gaza, desencadeada pelo ataque mortal ao sul de Israel por militantes do Hamas em 7 de outubro.

Cerca de 1.200 pessoas foram mortas nesses ataques, com centenas feitas reféns. Mais de 31 mil palestinos morreram na resposta militar de Israel, de acordo com o Ministério da Saúde administrado pelo Hamas em Gaza.

Netanyahu também disse que “não haverá cessar-fogo sem o retorno dos reféns” detidos em Gaza pelo Hamas desde outubro. O Hamas é designado grupo terrorista pelos EUA e pela União Europeia.

Mais cedo, o ministro da Defesa, Yoav Gallant, disse que os militares de Israel concluíram os preparativos para responder a qualquer cenário que possa surgir em relação ao Irã, que jurou vingança por um suposto ataque israelense à sua embaixada na Síria, em 1º de abril.

Não está claro quando isso poderá acontecer ou se o Irã tentará atacar Israel diretamente ou através de um dos grupos que apoia, como o Hezbollah, baseado no Líbano. Uma autoridade iraniana alertou no domingo que as embaixadas de Israel “não estão mais seguras”.

“Esta guerra revelou ao mundo o que Israel sempre soube – o Irã é quem está por trás do ataque contra nós através dos seus representantes”, disse Netanyahu no domingo.

“Qualquer um que nos machuque ou planeje nos machucar – nós o machucaremos. Colocamos esse princípio em prática, o tempo todo e nos últimos dias.”

O ataque em Damasco destruiu o edifício do consulado e matou pelo menos 13 pessoas, incluindo sete militares iranianos e seis cidadãos sírios, segundo a mídia estatal iraniana.

Israel não confirmou o ataque, consistente com a sua resposta habitual às acusações de ter como alvo o Irã.

Israel “será punido. Faremos com que se arrependam do seu crime”, disse o Líder Supremo do Irã, Aiatolá Ali Khamenei, em 2 de abril, de acordo com a Agência de Notícias da República Islâmica. No domingo, Yahya Rahim-Safavi, conselheiro militar sênior de Khamanei, disse na TV estatal que “nenhuma das embaixadas de Israel está mais segura”. Várias embaixadas israelenses em todo o Oriente Médio foram “fechadas por medo”, acrescentou.

Imagem: Reprodução

artigos relacionados

PERMANEÇA CONECTADO

0FansLike
0FollowersFollow
21,800SubscribersSubscribe
- PUBLICIDADE-
Prefeitura
Banpara

Mais recentes

×
Pular para o conteúdo