sábado, abril 13, 2024
Desde 1876

RJ: Sequestrador de ônibus seria membro do tráfico e queria fugir

Um sequestrador manteve 16 passageiros reféns na rodoviária do Rio de Janeiro, na tarde desta terça-feira (12). Ele se entregou e foi preso. O criminoso foi identificado como Paulo Sérgio de Lima, de 29 anos, e teve a arma apreendida. Pelo menos duas pessoas se feriram – uma delas em estado grave.

Lima suspeitou que era seguido por policiais e tentou entregar sua arma a um passageiro, na plataforma de embarque, enquanto o ônibus era preparado para iniciar a viagem. Diante da conduta inusitada, o passageiro se assustou, saiu correndo e, então, o criminoso deu três tiros em direção a ele, ferindo-o gravemente. Em seguida, rendeu os passageiros que já haviam entrado no ônibus.

O relato acima é a versão que o delegado Mário Andrade, titular da 4ª Delegacia Policial (DP) e responsável pela investigação sobre o caso, contou ter ouvido do criminoso durante depoimento.

– Ele disse que é organizador do tráfico na Muzema (favela na Zona Oeste do Rio) e no domingo foi à Rocinha (bairro da Zona Sul do Rio) para pagar dívidas que tinha em alguns bares (…). Contou que teve uma desavença com um traficante local e esse rapaz atirou nele, mas errou. Ele também atirou e errou. O traficante sobreviveu, e ele passou a ter medo de ser pego – disse.

Por isso, segundo o delegado, Lima não voltou para casa, mas hospedou-se em hotéis do centro do Rio e decidiu fugir para Juiz de Fora, em Minas Gerais, nesta terça.

– Ele foi para a rodoviária, comprou a passagem com dinheiro e achou que despertou suspeita ao tirar do bolso um maço de notas – relatou o delegado.

Lima começou, então, a suspeitar que estava sendo seguido por policiais. Entrou no ônibus, mas o coletivo teve um problema mecânico quando estava saindo da vaga, ainda dentro da rodoviária. Por isso, o veículo voltou para a plataforma 42 e, enquanto o mecânico da empresa era acionado, os passageiros desembarcaram.

Quando viu um passageiro se aproximando, Lima achou que era um policial e decidiu entregar a arma. Tirou a pistola 9 milímetros e estendeu-a em direção a Bruno Lima da Costa, de 34 anos, que não é policial e se assustou com a cena.

Costa saiu correndo e Lima atirou em sua direção – além desse passageiro, outro, que estava próximo, ficou ferido com os estilhaços da bala. Em seguida, Lima entrou no ônibus e rendeu as 16 pessoas que estavam lá dentro. O delegado disse ter ouvido do sequestrador que tomou essa atitude por medo de ser entregue ao grupo do traficante com quem se desentendeu na Rocinha.

Durante o tempo em que manteve os passageiros reféns, Lima chegou a atirar contra dois policiais que cercavam o ônibus, mas também errou.

Agentes do Batalhão de Operações Especiais (Bope) do Rio de Janeiro, a tropa de elite da Polícia Militar, atuaram no sequestro. A condução das negociações esteve a cargo da Unidade de Intervenção Tática, divisão do Bope especializada em situações de crise.

Segundo o delegado, Lima já tem duas passagens pela polícia – no Rio e em Minas. Ele deve ser indiciado por três crimes: tentativa de homicídio qualificado; sequestro e cárcere privado; e porte de arma de fogo de uso restrito. O envolvimento de Lima com o tráfico, como ele próprio admitiu, ainda será investigado, disse o delegado.

*AE

Fonte: Pleno News/Foto: Reprodução/Print de vídeo das redes sociais

artigos relacionados

PERMANEÇA CONECTADO

0FansLike
0FollowersFollow
21,600SubscribersSubscribe
- PUBLICIDADE-
Governo do Estado
banpara

Mais recentes

×
Pular para o conteúdo