domingo, julho 14, 2024
Desde 1876

Chocolate de Igarapé-Miri vence concurso no Festival Chocolat Xingu

A premiação consagrou os melhores chocolates apresentados no evento, em Altamira. O certame contou com 46 chocolates, de 14 empresas oriundas de 10 municípios paraenses.

Na presença do público foram anunciados, na noite de sábado (15), os vencedores, em três categorias, do II Concurso de Melhor Chocolate Paraense no Festival Chocolat Xingu, realizado no município de Altamira. O chocolate Yeshua, produzido em Igarapé-Miri, município da Região de Integração Tocantins, foi o grande vencedor, com três premiações. O produto levou o primeiro lugar na categoria Intenso; o segundo lugar na categoria Chocolate ao Leite, empatando com o Ascurra, de Medicilândia, e o terceiro lugar na categoria Produto Inovação.

O concurso é uma iniciativa do Procacau (Programa de Desenvolvimento da Cadeia Produtiva da Cacauicultura), da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap), com aporte financeiro do Fundo de Apoio ao Desenvolvimento da Cacauicultura do Pará (Funcacau)

O concurso foi executado pelo Centro de Valorização de Compostos Bioativos da Amazônia (CVACBA), pertencente à Universidade Federal do Pará (UFPA), e instalado no Parque de Ciência e Tecnologia Guamá (PCT), em Belém, sob a coordenação do professor Jesus Nazareno de Souza. O trabalho contou com a colaboração da equipe técnica da Incubadora de Empresas do Xingu, do campus da UFPA em Altamira, representada pela professora Silvia Maia.

Entre os critérios para participar do certame, o chocolate deve ser produzido com amêndoas e/ou ingredientes principais oriundos de municípios do Pará, e obrigatoriamente ser comercializado por expositores no Festival Chocolat Xingu. Cada empresa pode inscrever até dois produtos (chocolate/amostra) em cada categoria.

HONRA

O produtor Antônio Marcos de Sena, da empresa Cacau Yeshua Chocolates, disse que se sentiu honrado em participar de uma premiação na região da Transamazônica (BR-230), maior produtora de cacau do Pará. Ele, que foi aluno da Escola Indústria de Chocolate, do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), com recursos do Funcacau, trabalha há três anos com o fruto. Na propriedade onde cultiva cacau, com 55 hectares, Antônio Marcos também planta açaí e cupuaçu em Sistema Agroflorestal (SAF).

“Para mim é motivo de muita honra estar aqui no meio de tantos produtores renomados, e poder levar esses prêmios para Igarapé-Miri, terra do açaí, que também está entrando no cenário do cacau e do chocolate fino e de qualidade. É motivo de muito orgulho. A minha primeira oficina fiz no Senar, por meio da Escola Indústria, onde aprendi muito”, acrescentou o produtor.

QUALIDADE

Durante o concurso, observou o coordenador da instituição executora, Jesus Alves, foi observada a diversidade da amêndoa de cacau do Pará. “Foram 46 chocolates inscritos representando 14 empresas com chocolatier provenientes de 10 diferentes municípios”, informou.

O coordenador do Procacau da Sedap, Ivaldo Santana, disse que o concurso mostrou a qualidade das amêndoas produzidas em diferentes regiões do Estado. Segundo ele, há amêndoas de terra firme que já ganharam vários prêmios, e agora se destacam as de várzea, como é o caso daquelas oriundas de Igarapé-Miri.

“A gente fica muito contente de ver que todas as regiões do Estado estão sendo premiadas, e não só a maior produtora. A gente vai conquistando mais espaço, tanto no Pará, no Brasil e no mundo, pois todo o planeta vai saber dessa premiação que aconteceu hoje aqui. É uma vitória para o Estado do Pará. A gente está vendo que o nosso trabalho está trazendo resultado na prática para os produtores”, frisou Ivaldo  Santana.

Os participantes concorreram em três categorias: Chocolate Intenso (bean-to-bar), de 65% a 90% ; Chocolate ao Leite (bean-to-bar ao leite), de 35% a 65% de cacau, e Produto Inovação, com o mínimo de 30% de amêndoas ou ingredientes provenientes de amêndoas do gênero Theobroma.

PREMIADOS

Categoria Intenso

Medalha de ouro: Yeshua (Igarapé-Miri)

Medalha de prata – empate técnico – Ascurra (Medicilândia) e Yeshua (Igarapé-Miri)

Medalha de bronze – Blumen (Brasil Novo)

Categoria Chocolate ao Leite

Medalha de ouro – Bela Amazônia (Vitória do Xingu)

Medalha de prata – Assurini – Abelha Cacau (Altamira)

Medalha de bronze – Cacaway (Medicilândia)

Chocolate Produto Inovação

Medalha de ouro – Blumen (Brasil Novo)

Medalha de prata – Ascurra (Medicilândia)

Medalha de bronze –  Yeshua (Igarapé-Miri)

Imagem: Leandro Reis/ Ascom Sedap

artigos relacionados

PERMANEÇA CONECTADO

0FansLike
0FollowersFollow
21,900SubscribersSubscribe
- PUBLICIDADE-
Prefeitura

Mais recentes

×
Pular para o conteúdo