domingo, maio 19, 2024
Desde 1876

Governo do Pará autoriza o início das obras da Nova Doca

O governador Helder Barbalho assinou, na noite desta terça-feira (7), a Ordem de Serviço para a construção da Nova Doca, em Belém. Esta é mais uma das obras que serão executadas pelo Governo do Pará visando preparar a capital para sediar a 30ª Conferência do Clima sobre Mudanças Climáticas – COP 30, em novembro de 2025.

Além do chefe do Executivo estadual, o evento realizado na Avenida Visconde de Souza Franco (Doca) contou com a presença da vice-governadora Hana Ghassan; do diretor-geral da Itaipu Binacional, Enio Verri, e de representantes do governo federal, deputados, secretários de Estado, vereadores e outras autoridades.

“É fundamental que nós possamos buscar legados, deixar Belém uma cidade melhor de se viver, com qualidade urbana, mobilidade, estruturas e ambientes que possam fortalecer o turismo, gerar emprego e renda. Hoje iniciamos a construção da Nova Doca, um grande parque urbano, com diversos equipamentos, uma estrutura que permitirá com que nós tenhamos um ambiente extraordinário para as famílias”, disse o governador.

Helder Barbalho também destacou o investimento em saneamento na reconstrução do espaço. “Além disso, também estaremos fazendo tratamento de esgoto desta região da cidade, permitindo, inclusive, com que a água do canal da Doca possa ser uma água tratada com qualidade, evitando poluição e o cenário atual de degradação do meio ambiente”, ressaltou.

Avanços – O governador enfatizou ainda os investimentos em mobilidade urbana que Belém ganhará como legado da COP 30. “Avançamos com um amplo plano de pavimentação de ruas em todos os bairros da nossa capital, além da duplicação da Rodovia da Marinha, que permite um novo acesso de integração da Augusto Montenegro com a Pedro Álvares Cabral, com a Rodovia dos Trabalhadores, facilitando o fluxo, o tráfego e, claro, com isto melhorando a qualidade urbana e a infraestrutura de Belém”, acrescentou Helder Barbalho.

O projeto da Nova Doca terá o investimento de R$ 310.830.390,25, resultado do convênio firmado pela Itaipu Binacional com o Governo do Pará. O projeto vai ser executado pela Secretaria de Estado de Obras Públicas (Seop), por meio do Consórcio Nova Doca.
Em 1,2 quilômetro de canal serão executados os serviços de drenagem, paisagismo, urbanização e construção de passarelas, além da substituição de seis comportas para controle de água de maré para evitar inundações. Também serão pavimentados mais de 2,4 km da Avenida Visconde de Souza Franco e construídos um novo sistema de drenagem profunda e superficial de chuva, rede de esgoto sanitário, tubulação de água potável, ciclovia e um sistema de energia limpa.

Evento mundial – “É a ousadia que faz a gente crescer e ir longe. Graças a essa ousadia do nosso governador, com apoio do presidente Lula, vamos transformar Belém na sede do maior evento mundial sobre o clima. Ficamos muito felizes de mais uma etapa vencida dentro do planejamento que foi feito. Essa é uma obra que vai gerar muitos empregos e mais renda para a nossa população. Não é uma obra só de embelezamento. Aqui vai virar um parque que as famílias poderão frequentar”, frisou a vice-governadora Hana Ghassan, coordenadora do Comitê da COP 30 no Pará.

As intervenções no canal estão divididas em módulos. Neste primeiro momento, as obras iniciarão no perímetro entre a Avenida Marechal Hermes e a Rua Belém. No espaço, serão colocados tapumes e sinalização de obras.

Para o secretário de Estado de Obras Públicas, Ruy Cabral, esse é um momento importante de investimentos também na melhoria da mobilidade e lazer. “Hoje, nós assinamos a Ordem de Serviço da Nova Doca, um importante instrumento que garante o início e o fim da obra. A equipe da Seop, junto com a empresa contratada, já está envolvida no projeto, e agora vamos avançar efetivamente nos trabalhos, tranquilos com relação a prazos. A Nova Doca é mais uma obra marcante do Governo do Pará, e que vai dialogar com o Porto Futuro, outro importante legado da COP 30 para a capital paraense”, informou.

Projeto – A Nova Doca propõe o resgate da memória da água com suas vivências e ecossistemas de referência originais, criando um parque linear contínuo, com a utilização do entorno com novos espaços públicos de lazer, esporte e contemplação para a população. Ao mesmo tempo, proporcionará aos frequentadores a interação com a contemplação do curso d´água existente, com novo tratamento ambiental e paisagístico.

Afonso Cardoso, que mora próximo à Avenida Visconde de Souza Franco, destacou a importância da Nova Doca para criar atrativos turísticos na capital paraense. “É uma obra importante, esperada, porque a população de Belém vai ganhar não somente mais um cartão postal, mas uma obra estruturante. O centro da cidade precisava de uma obra como essa. E o governo do Estado teve essa preocupação em querer fazer. É um cartão postal que Belém vai se orgulhar”, afirmou.

Ao longo da Nova Doca serão implantados mirantes, quiosques de alimentação, parque infantil, academia ao ar livre e espaços de contemplação integrados à paisagem do canal, que será completamente requalificado.

Futuro do planeta – Para Enio Verri, diretor-geral da Itaipu Binacional, os investimentos vão preparar Belém para receber a COP da Amazônia. “É muito mais do que esse investimento. É o Pará entrando no cenário do mundo. O mundo hoje reflete a crise do planeta. O planeta está frágil, os problemas climáticos são gigantescos, e isso exige uma solução urgente dos grandes líderes mundiais. Ano que vem o mundo todo estará no Pará, conhecendo a Amazônia, conhecendo a história do seu povo e, ao mesmo tempo, a partir dessa história, construindo o futuro do planeta”, enfatizou.

A arborização, tão necessária para melhorar as condições climáticas, será um dos diferenciais do novo espaço público. O projeto inclui o plantio de cerca de 200 árvores de grande porte e mais 10 mil unidades de arbustos e forragem – plantas pequenas.

A moradora Betânia Gordo falou sobre a criação de espaços de lazer e convívio, que também proporcionam para a população local e turistas novas áreas públicas. “É necessário ter um novo cartão postal, mas além disso há a possibilidade de acesso da nossa população, que vem de vários bairros da cidade. Isso é muito importante para todos nós. A minha expectativa é que Belém cresça cada vez mais. Belém enquanto capital do Pará, capital da Amazônia, e na relação com todos os outros municípios que fazem parte do nosso Estado”, disse Betânia.

Texto: Lucas Freitas – Ascom/Seop

Fonte: Agência Pará/Foto: Marcos Santos/Ag Pará

artigos relacionados

PERMANEÇA CONECTADO

0FansLike
0FollowersFollow
21,700SubscribersSubscribe
- PUBLICIDADE-
Prefeitura
Banpara

Mais recentes

×
Pular para o conteúdo