quarta-feira, abril 24, 2024
Desde 1876

Prefeitura e Ligas Carnavalescas fazem um carnaval histórico na Aldeia Cabana

Escolas concentrando e entrando na avenida nos horários, desfiles sem carros quebrados na avenida. Ninguém precisou amanhecer na avenida para ver aquela última escola passar, desmistificando essa máxima; nada de violência ou incidente grave foi registrado e os carros alegóricos que ainda foram deixados nas transversais, como todos os anos, tiveram 48 horas para serem retirados pelas escolas, sob pena de perder recursos em 2025. Neste último final de semana, 11 agremiações do Grupo Especial apresentaram enredos culturais e amazônicos, em busca do grande título.

“Iniciamos o carnaval de forma descentralizada, mas dentro do período oficial, pelos desfiles dos distritos. Junto com as ligas carnavalescas, definimos o calendário para os demais desfiles em Belém, buscando um calendário diferenciado para que a população tivesse condições de chegar até a Aldeia Cabana e assistir a essa grande apoteose que foram os desfiles deste último final de semana”, informa a presidente da Fundação Cultural de Belém,  Inês Silveira.

“A Prefeitura de Belém está comemorando junto com as ligas, os carnavalescos, os brincantes e a população de modo geral. Encerramos com alegria, com um carnaval pra cima, festivo e participativo, fruto de uma gestão que traz como premissa a participação popular em todas as sua ações”, complementa.

ORGANIZAÇÃO E ANIMAÇÃO

É, definitivamente, este ano o carnaval não foi igual ao que passou. E 2024 torna-se um divisor de águas na história da organização da festa mais popular do país, na capital paraense. Todo mundo brincou e a nossa ‘Aldeia’ ainda recebeu visitantes ilustres que, antes, não conseguiam participar dos desfiles em Belém, no calendário oficial do país. Foi o caso dos puxadores de escolas de samba do Rio e São Paulo, que estiveram por aqui: Marquinho Art Samba e Serginho Porto, por exemplo, vieram embalar a Embaixada Pedreirense, e Leonardo Bessa chegou para fortalecer a Piratas da Batucada.

“Trocar experiências com os artistas daqui, para mim é uma alegria. Foi uma experiência maravilhosa e torço para que o poder público olhe sempre com muito carinho para essa manifestação cultural, que atrai também o turismo. Espero voltar sempre”, disse Leonardo Bessa, que já puxou samba de diversas escolas em todo o país, entre elas a São Clemente e a Salgueiro (RJ).

Mestre Damasceno

UM MARCO NA HISTÓRIA

Uma série de mudanças foi realizada pela Prefeitura este ano, na estrutura de organização do carnaval, para que se chegasse a esse resultado. Sob a coordenação da Fundação Cultural de Belém (Fumbel), que junto às agremiações carnavalescas chegou ao consenso de que a melhor maneira de realizar uma festa assertiva e para a população, seria propor a descentralização da realização da festa em duas etapas.

No período oficial do carnaval, entre 10 e 13 de fevereiro, foram realizados os desfiles nos distritos e, depois, em dois finais de semana, de 23 a 25 de fevereiro, e nos dias 1º e 2 de março, em Belém, na Aldeia Cabana. O acordo foi 100%. A ESA – Liga das Escolas Associadas de Belém, a Libel – Liga dos Blocos e a Lipac – Liga das Escolas dos 3° e 2° Grupos, abraçaram junto com a prefeitura uma gestão compartilhada.

“Esse ano a gente teve um carnaval compartilhado. As diretrizes, decisões e o regulamento foram definidos em uma discussão coletiva. Isso foi muito positivo. Fizemos um carnaval organizado, cumprindo rigorosamente os horários, com a pista pintada, telões que facilitaram a visualização dos quesitos. Estamos todos de parabéns, foi uma organização muito legal. As escolas ganharam, todos ganharam, principalmente o público que foi assistir. Esperamos seguir com esse modelo de gestão, para que a gente erre menos”, afirma o presidente da ESA, Fernando Guga.

CARNAVAL SUSTENTÁVEL

O evento deste ano também deu início à implantação do “Carnaval Sustentável”, uma iniciativa da ESA, que passa a ser desenvolvida com resultados para 2025, contando também com apoio da Prefeitura de Belém. A Fumbel avalia de forma positiva a realização do Carnaval de Todas as Cores, sustentável e compartilhado, não só com as Ligas, mas também envolvendo todas as demais secretarias municipais, e contando com o apoio da Guarda Municipal, Polícia Militar e dos Bombeiros, além de todos os órgãos se dirigindo para Aldeia Cabana nestes dias de desfile. 

As agremiações também surpreenderam todas as expectativas. “Com enredos e temáticas muito próximas e inseridas no contexto da cultura popular, focando a cena cultual da cidade, todas realizaram um belo desfile. Não houve nenhum incidente que pudesse ter tirado o brilho. A Aldeia Cabana estava lotada, e percebia-se que as pessoas se dirigiram realmente para assistir esse grande espetáculo”, enfatiza o diretor geral da Fumbel,  Jamil Mouzinho.

Ele ressalta, que o carnaval de 2024 veio para reorganizar os grupos e escolas de samba, de forma que, até da 2026, o Grupo Especial se apresente com 8 escolas, assim como nos grupos 1 (de acesso) e 2. “Esse passo é importante e foi decidido de comum acordo com as ligas representativas das escolas de samba. Vai ser um ganho para o carnaval. Fluirá mais o desfile, o resultado só tende a melhorar”.

Serviço:

A apuração das notas dos desfiles das Escolas de Samba do Grupo Especial será amanhã, quarta-feira, 06, a partir das 18h, na Aldeia Cabana.

Imagens: Agência Belém

artigos relacionados

PERMANEÇA CONECTADO

0FansLike
0FollowersFollow
21,600SubscribersSubscribe
- PUBLICIDADE-
Governo do Estado
banpara

Mais recentes

×
Pular para o conteúdo