quarta-feira, abril 24, 2024
Desde 1876

EDITORIAL – A PROVÍNCIA DO PARÁ, um nome centenário, tradicional, de peso e respeito há 148 anos

A perenidade do jornal A PROVÍNCIADO PARÁ é um fato! Começou com Joaquim José de Assis, Francisco de Souza Cerqueira e Antônio José de Lemos, passou pela era Diários e Emissoras Associados e agora está sob a direção do casal empresários Carlos Santos e Aline Santos, ele, ex-governador do Estado do Pará. O jornal circulou pela primeira vez em formato tablóide com quatro páginas, na tarde do dia 25 de março de 1876.

Narra a história do jornal que, naquela época, havia muitos jornais aparecendo e desaparecendo. Quando as pessoas ouviram o jornaleiro gritar o nome de A PROVÍNCIA DO PARÁ, teriam comentado que “lá vem mais um. Até quando, meu Deus?” (História de A Província do Pará, Carlos Rocque).

A história prosseguiu, o jornal, que funcionava no que hoje é um suntuoso palácio da educação, antigo Instituto de Educação do Estado do Pará, na majestosa Praça da República, bairro da Campina, centro de Belém, foi queimado por grupos políticos contrários ao jornalista, senador e então intendente de Belém, Antônio Lemos, mas ressurgiu como o fênix das cinzas, desta feita, em formato mais moderno e de caráter mais profissional, com Assis Chatteubriand, presidente do Condomínio Acionário dos Diários e Emissoras Associados, tendo sido finalmente adquirido por Carlos e Aline Santos, que relançou este jornal em formato tablóide, inicialmente quinzenal.

Hoje, as edições impressas são as especiais, mas tem a edição mensal digital que fica na plataforma do moderno Portal de A PROVÍNCIA DO PARÁ que, nestes 148 anos de existência, está nas mais modernas plataformas digitais e redes sociais, atingindo todo o planeta pela Rede Mundial de Computadores, disponível em qualquer aparelho de telefonia celular móvel.

Na era dos Diários Associados, o jornal A PROVÍNCIA DO PARÁ formou uma holding com a Super Rádio Marajoara AM-1.130, a TV Marajoara Canal 2, o jornal O Imparcial, que era vespertino, e o Jornal de Santarém. Com o fechamento da Rede Tupi de Televisão pelo governo militar de João Baptista de Oliveira Figueiredo, em 1980, o grupo se dissolveu. No entanto, com espírito corajoso e persistente, Carlos Santos e sua mulher acabaram por remontar o Grupo Marajoara de Comunicação, agora integrado por A PROVÍNCIA DO PARÁ, TV Marajoara Canal 50.1, e a Super Rádio Marajoara com uma rede de emissoras de rádio AM, FM e Web Rádio.

Entretanto, e isso precisa ser ressaltado hoje e sempre, o ideário do jornal de sempre noticiar os fatos de Belém, do Pará, da Amazônia, do Brasil e do Mundo, de defender os interesses da população e estar à frente de seu tempo permaneceu, permanece e permancerá.

A PROVÍNCIA DO PARÁ vem narrando a história da capital paraense, do Estado, da Região Amazônica, do Brasil e do mundo em tempo real, porque foi para isso que o jornal foi criado e continua aqui, do lado da população, do lado do web leitor, na defesa de um Brasil socialmente justo, ecologicamente viável e desenvolvido financeiramente, priorizando a planta da casa, pois é um jornal marajoara, paraoara, papa chibé das tradições do açaí com peixe frito, da fanfarra diária de luta e amor do Ver-o-Peso à religiosidade com o Círio de Nazaré. A história prossegue. Em dois anos, este jornal estará celebrando seu sesquicentenário, mais moderno, mais atual, sempre à frente de seu tempo.

artigos relacionados

PERMANEÇA CONECTADO

0FansLike
0FollowersFollow
21,600SubscribersSubscribe
- PUBLICIDADE-
Governo do Estado
banpara

Mais recentes

×
Pular para o conteúdo