sábado, julho 20, 2024
Desde 1876

Fapespa é destaque no maior evento científico da América Latina

O presente e o futuro da pesquisa científica na região Amazônica norteiam a história de atuação da Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas, a Fapespa. Por isso, a instituição integra a 76ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), a maior da América Latina, que ocorre até o dia 13 de julho, na Universidade Federal do Pará. A Fapespa, como uma das principais apoiadoras do encontro, vai participar amplamente da programação com palestras, debates e apresentação de estudos científicos. O evento é gratuito e aberto ao público.

“Enquanto nos reunimos sob o manto da esperança e do comprometimento com o futuro da Amazônia, é imperativo que lancemos um olhar crítico sobre os desafios que enfrentamos e as oportunidades que temos à nossa frente. A Fapespa tem a responsabilidade de conduzir a discussão para além dos limites do convencional, explorando não apenas o que tem sido feito, mas o que ainda precisa ser feito para alcançarmos um desenvolvimento verdadeiramente sustentável na Amazônia. Pois, estamos em um ponto crítico da nossa história, onde a necessidade de preservação ambiental se choca com as demandas de desenvolvimento econômico. No entanto, acredito firmemente que, por meio da ciência, da inovação e da colaboração, podemos encontrar um caminho que nos leve a um futuro onde o desenvolvimento e a conservação andem de mãos dadas”, destaca Marcel Botelho, diretor-presidente da Fapespa.

Do papel de açaí à inteligência artificial – A Fapespa terá um stand durante todos os dias de evento. No local, o público poderá, a cada dia, conhecer diferentes projetos apoiados pela fundação, com investimentos do governo do Estado. Um deles, o da Lina Bufalino, professora da UFRA e coordenadora do projeto que está desenvolvendo papéis a partir de fibras do resíduo do açaí. Com o apoio da Fapespa, a pesquisadora estruturou o AmazonCel, primeiro laboratório de celulose e papel completo da Amazônia, onde está fazendo o estudo. O objetivo final é conseguir desenvolver embalagens sustentáveis reaproveitando o resíduo da fruta mais consumida pelo paraense.

“A expectativa é divulgar mais o meu projeto para a sociedade, mostrando as possibilidades de tecnologias que a gente pode fazer com o resíduo do açaí. Irei levar o resíduo e as fibras, assim como as polpas de celulose e os papeis que já conseguimos produzir com sucesso. A ideia é mostrar ao público todos os passos do processo”, conta a pesquisadora. A apresentação da pesquisa ocorrerá na segunda-feira, dia 8, no stand da Fapespa.

O pesquisador Marcus Braga também se prepara para apresentar seus projetos apoiados pela fundação. São dois estudos: um que usa a Inteligência Artificial (IA) para detectar doenças no cacau, voltado para a agricultura; e um sistema inteligente para rastrear crianças com atraso no desenvolvimento infantil na primeira infância, com foco na saúde pública. Os estudos serão apresentados nos dias 8 e 12, respectivamente.

“Para nós, é uma oportunidade única mostrar a pesquisa e a ciência produzida aqui no estado do Pará. Com a proximidade da COP 30, é importante lembrar que na Amazônia existe ciência, existem cientistas nas universidades que trabalham diuturnamente para produzir resultados que impactem a sociedade, seja na floresta, seja na área urbana. O fomento da Fapespa tem nos proporcionado desenvolver essas pesquisas com muito mais condições. E agora, ter essa chance de estar na SBPC, fazendo parte de um seleto grupo de pesquisadores, é uma honra”, celebra Marcus Braga, professor da UFRA/Paragominas e coordenador dos projetos.

Durante a semana de evento, ao todo, serão apresentadas 23 pesquisas apoiadas pela Fundação. Os projetos abrangem várias áreas de pesquisa, como: formação de banco de espécies vegetais da Amazônia e produção de biocarvão, melhoramento de semestres de pimenta-do-reino, monitoramento da qualidade do ar, tecnologias de fornecimento de água potável para ribeirinhos, estudos envolvendo os botos-do-Araguaia e muito mais.

COOPERAÇÃO CIENTÍFICA

A Fapespa estará presente ainda em outras programações oficiais da reunião da SBPC. O diretor-presidente da Fundação, Marcel Botelho, participará, no dia 7, da abertura do evento no Teatro da Paz. O presidente também irá participar no dia 10 da mesa redonda sobre o Sistema nacional de ciência e tecnologia, no Centro de Eventos Benedito Nunes, na UFPA.

Ainda no dia 10, parte da programação ocorrerá no Auditório da Fapespa. Pesquisadores debaterão oportunidades de mobilidade e cooperação científica entre Brasil e Europa. Já no dia 13, último dia de programação, a Fapespa estará presente na “Iniciativa Amazônia +10”, com pesquisas direcionadas aos desafios da Amazônia.

Confira a programação completa:

08/07 SEGUNDA-FEIRA

Tema: PD&I para produtos da BioEconomia

Apresentações de pesquisas:

Formação de banco de espécies vegetais da Amazônia e uso de resíduos para produção de biocarvão

Melhoramento de produto e processo de recobrimento de sementes de pimenta-do-reino

Produção de papeis e filmes a partir de fibras do resíduo do açaí para indústrias

Utilização de inteligência artificial para reconhecimento de doenças do cacau na região amazônica08h-18h | Stand da Fapespa

09/07 TERÇA-FEIRA

Tema: Internacionalização

Apresentações de pesquisas:

Swissnex – nexBio Amazônia

British Council – Programa Climate Skills

CONFAP – Mobility Italy 2019: Projeto AguaSocial II

Ações de Internacionalização da UNIFESSPA – GCUB

08h-18h | Stand da Fapespa

Internacionalização da pesquisa com as ações Marie Sklodowska Curie da União Europeia

13h | Auditório EXPOTEC

10/07 QUARTA-FEIRA

Tema: Internacionalização

Oportunidades internacionais:

Oportunidades de Mobilidade e Cooperação científica Brasil-Europa

09h | Auditório da Fapespa (Av. Presidente Vargas, nº 670)

10/07 QUARTA-FEIRA

Tema: Clima e Meio Ambiente/Sistema Nacional de Ciência e Tecnologia

Apresentações de pesquisas:

Os rios amazônicos: Aspectos socioambientais das águas superficiais amazônicas

Rede piloto de inovação no monitoramento da qualidade do ar na região do Oeste do Pará

Viabilidade econômica de tecnologias agrometeorológicas como mitigação de mudanças climáticas na cadeia produtiva do cacau da Transamazônica

08h-18h | Stand da Fapespa

Palestra: “Sistema nacional de ciência e tecnologia: o papel das fundações vis-a-vis as agências nacionais”

16h | Centro de Eventos Benedito Nunes (CEBN)

11/07 QUINTA-FEIRA

Tema: InovaçãoApresentações de pesquisas: Segurança cibernética aplicada ao ciclo de capacitação, conscientização, mapeamento, avaliação, privacidade, conformidade e auditoria

Selo Guamá de Gestão da Inovação

Empresas Centelha II

Empresas InovaAmazônia

08h-18h | Stand da Fapespa

12/07 SEXTA-FEIRA

Tema: Impacto Social

Apresentações de pesquisas:

Avaliação de uma tecnologia social que promove água potável para ribeirinhos na região insular de Belém

Programa de desenvolvimento socioeducacional às pessoas com transtorno do espectro autista do Pará

Sistema Inteligente para Promoção do Desenvolvimento Infantil na Amazônia Paraense

08h-18h | Stand da Fapespa

13/07 SÁBADO

Tema: Iniciativa Amazônia+10

Apresentações de pesquisas:

Parâmetros fisiológicos e análise de risco para patógenos zoonóticos em botos-do-Araguaia sob impactos ambientais

“Inov’Açaí” – Co-construção de conhecimentos, inovações e políticas públicas para sustentabilidade da produção comunitária

Prospecção científica e tecnológica para o desenvolvimento sustentável de bioativos antimicrobianos a partir de resíduos de plantas da Amazônia

Environmental contaminants and multiple exposure risks in the Eastern Brazilian Amazon

Acesso à medicamentos na Amazônia

15h-16h | Auditório EXPOTEC

Por Manuela Oliveira (FAPESPA)

Imagem: Divulgação

artigos relacionados

PERMANEÇA CONECTADO

0FansLike
0FollowersFollow
21,900SubscribersSubscribe
- PUBLICIDADE-
Prefeitura

Mais recentes

×
Pular para o conteúdo