sábado, abril 13, 2024
Desde 1876

Hospital Metropolitano inaugura laboratório de práticas assistenciais

Referência no Pará à frente do tratamento a vítima de traumas graves e o único da região Norte do Brasil com um Centro de Tratamento de Queimados (CTQ), o Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), localizado em Ananindeua, Região Metropolitana de Belém, se consolida na qualidade da assistência entregue a quem necessita.

Prova disso é o investimento feito em um completo e moderno Laboratório de Práticas Assistenciais, criado para treinar os profissionais e oferecer ainda mais eficiência no atendimento ao paciente, desde a internação à alta hospitalar.

O laboratório dispõe de um boneco realístico para simulação de diversas práticas relacionadas à saúde e conta, inclusive, com componentes que simulam a realidade de pessoas com politraumas ou grandes queimaduras, um leito completo com monitores, entre eles o de multiparâmetro, com função de ler os sinais vitais do paciente, além de um “carro de parada”, utilizado na rotina clínica, equipado com acessórios hospitalares e manuais de corretas práticas.

Todos os equipamentos do laboratório, incluindo os insumos, materiais e mobiliários, eram usados no HMUE, foram substituídos e reutilizados porque já não atendiam a necessidade apresentada no dia a dia da unidade.

Para o diretor assistencial da unidade, Clóvis Guse, mais que um avanço para a qualidade do atendimento, o laboratório reforça o compromisso da gestão em ampliar as práticas já desenvolvidas e para fortalecer e uniformizar o modelo assistencial da equipe multiprofissional do HMUE.

“O laboratório é um ganho para a saúde do Pará, tendo em vista que o Metropolitano é uma porta aberta para vítimas de traumas graves, vindas de diversas cidades do Estado. Pensar em treinar e aprimorar as práticas dos nossos profissionais significa priorizar a qualidade da entrega e excelência do cuidado dedicado a cada paciente”, diz ele.

O enfermeiro do Núcleo de Educação Permanente (NEP), Fábio Augusto, destaca que, com a chegada do laboratório, a rotina de treinamentos do HMUE será fortalecida, com foco na experiência positiva do paciente.

“Todos os treinamentos pensados e desenvolvidos no HMUE cumprem uma agenda anual e a maioria é voltada para boas práticas de cuidado com foco, sempre, na missão do hospital que é salvar vidas de forma cada vez mais humanizada”, frisa. 

Ivete Vaz, secretária de Estado de Saúde Pública, ressalta a importância que o novo Laboratório de Práticas Assistenciais terá para a capacitação contínua de colaboradores. “O treinamento profissional deve fazer parte de uma rotina hospitalar, trazendo melhorias aos pacientes e segurança no atendimento prestado. Estamos felizes em poder entregar mais um espaço voltado para capacitações, o que irá agregar ainda mais na qualidade assistencial oferecida pelo Hospital Metropolitano”, disse. 

Formação profissional – Importante promotor de assistência à saúde, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), o Hospital Metropolitano atua para a formação de profissionais, por meio da residência multiprofissional e médica.

Com um Departamento de Ensino e Pesquisa (DEP) na unidade, o objetivo é oferecer apoio ao ensino e à pesquisa, para gerar e disseminar o conhecimento, além de proporcionar qualificação acadêmica e científica aos novos profissionais da saúde.

Anualmente, por meio de edital publicado pela Universidade do Estado do Pará (Uepa), são ofertadas vagas para residência médica em cirurgia geral, ortopedia e traumatologia. Já para enfermeiros, psicólogos, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais e fisioterapeutas há oportunidades de residência em atendimento de urgência e emergência. Os estágios são ofertados a partir de parceria com instituições.
Com a chegada do laboratório, a formação desses especialistas será ainda mais completa.

“A utilização do laboratório pelos residentes do Hospital Metropolitano vai contribuir de maneira significativa na fixação do aprendizado, tanto de questões teóricas quanto de situações práticas bem efetivas. Vamos poder simular situações reais do dia a dia, seja do pronto atendimento, das UTIs e unidades de internação”, comenta o coordenador do DEP, Leonardo Ramos.

“Vale ressaltar que além de situações assistenciais práticas, como as técnicas, eles também vão poder vivenciar situações comportamentais como o atendimento ao paciente, seja na urgência ou internação, o que vai deixar esse profissional cada vez mais preparado para atuar dentro do Sistema Único de Saúde do Estado do Pará”, finaliza o profissional.

Pertencente ao Governo do Estado e gerenciado Instituto Nacional de Desenvolvimento Social e Humano (INDSH), o Hospital Metropolitano dispõe de 208 leitos operacionais nas especialidades de traumatologia, cirurgia geral, neurocirurgia, clínica médica, pediatria, cirurgia plástica exclusiva para pacientes vítimas de queimaduras e leitos de UTI.

A unidade recebe pacientes da Região Metropolitana de Belém, dos demais municípios do Pará e de outros Estados. Em 2023, mais de 700 mil atendimentos, com internações, cirurgias, exames laboratoriais e por imagem, atendimentos multiprofissionais e consultas ambulatoriais a pacientes internados foram realizados.

Fonte: Agência Pará/Foto: Divulgação

artigos relacionados

PERMANEÇA CONECTADO

0FansLike
0FollowersFollow
21,600SubscribersSubscribe
- PUBLICIDADE-
Governo do Estado
banpara

Mais recentes

×
Pular para o conteúdo