quarta-feira, junho 19, 2024
Desde 1876

Irã usa drones para encontrar helicóptero do presidente que caiu hoje em montanha

Um helicóptero que transportava o presidente do Irã, Ebrahim Raisi, fez um ‘pouso forçado’ neste domingo, 19, segundo informações divulgadas pela TV estatal daquele país. Equipes de resgate tentam chegar ao local onde o helicóptero teria pousado à força, mas as primeiras informações mostram que há muita dificuldade nas buscas, em função das péssimas condições climáticas na área. Há muita chuva e fortes ventos. No entanto, a CNN Brasil informa que as autoridades iranianas conversaram com duas pessoas a bordo do helicóptero do presidente Ebrahim Raisi, desde que se acidentou. A informação se baseia no que disse o vice-presidente iraniano para Assuntos Executivos, Mohsen Mansouri, à agência de notícias FARS.

As autoridades dizem que fizeram contato “várias vezes” com um passageiro e um integrante da tripulação de voo logo após o acidente, o que indica que o incidente “não foi grave”, disse Mansouri.

Três helicópteros estavam voando na mesma rota antes de dois perderem contato com o helicóptero de Raisi, disse Mansouri.

Uma autoridade iraniana disse à agência Reuters que não se tratou de pouso forçado, mas que o helicóptero que transportava o presidente do Irã teria caído enquanto atravessava um terreno montanhoso, sob forte neblina. Esta fonte afirmou que as vidas de Raisi e do ministro das Relações Exteriores estava “em risco após a queda do helicóptero”.

“Ainda estamos esperançosos, mas as informações provenientes do local do acidente são muito preocupantes”, disse o responsável, falando à Reuters sob condição de anonimato. O mau tempo complicou os esforços de resgate, informou a agência de notícias estatal IRNA.

A TV estatal interrompeu a programação normal para mostrar orações por Raisi em diversas regiões do país, enquanto no canto da tela apareciam imagens das equipes de resgate que vasculhavam a região montanhosa, sob neblina densa.

BUSCAS

O Irã duplicou de 20 para 40 o número de equipes de busca que tentam encontrar o helicóptero em que estava o presidente do país, Ebrahim Raisi. O aparelho teria caído numa região montanhosa e fechada de mata, próxima da cidade de Tabriz. Diante das dificuldades de chegar ao local, as equipes estão utilizando aeronaves não tripuladas, os drones, para tentar encontrar o helicóptero. O Azerbaijão também disponibilizou grupos de resgate. O local onde do incidente fica a 600 quilômetros da capital Teerã.

As equipes de resgate enfrentam condições climáticas desafiadoras e a área é de difícil acesso. Além da área montanhosa e com vegetação, as equipes estão enfrentando chuva, ventos fortes e uma densa neblina. As condições meteorológicas inviabilizam a realização de buscas aéreas, segundo informação da agência oficial do país. Um repórter da TV local afirmou que as equipes de resgate chegaram á região, mas que começou a chover e há muita lama, dificultando as buscas.

Em caso de morte do presidente da República do Irã, vai assumir o comando do país o vice-presidente Mohammad Mokhber, 69 anos de idade, também conservador. A lei do país determina que, em caso de morte do presidente da República, o vice assume e convoca eleições um prazo de seis meses após a posse.

Ebrahim Raisi viajava pela província iraniana do Azerbaijão Oriental quando o helicóptero fez o pouso forçado. A distância do pouso forçado também é considerada longa para um helicóptero, pois fica a cerca de 600 quilômetros da capital do país, Teerã. O local do pouso forçado seria perto da cidade de Jolfa, na fronteira com o Azerbaijão.

O presidente do Irã foi na manhã deste domingo ao Azebaijão e na sua agenda constava a inauguração de uma barragem. O presidente do Azerbaijão, Ilham Aliev, também participaria da inauguração. Aliev não estava no voo. Esta seria a inauguração de uma terceira barragem que os dois países fizeram no Rio Aras.

COMITIVA

Segundo informou a Agência de Notícias da República Islâmica (Irna), além do presidente do Irã, as primeiras informações dão conta de que estavam no mesmo voo o ministro das Relações Exteriores, Hossein Amirabdollahian e outras autoridades, incluindo um governador da província do local da queda, que é coberta por floresta.

Ebrahim Raisi tem 63 anos de idade e foi uma importante figura do Judiciário no Irã, país que preside desde 2021. É considerado um político ultraconservador. A exemplo de várias figuras proeminentes de seu país, Raisi é acusado de crimes e de abusos de direitos humanos no período em que foi juiz. Raisi teria se envolvido diretamente na execução de dissidentes do regime no final da década de 90.

O Irã é uma das civilizações mais antigas do mundo. O país tornou-se oficialmente uma república islâmica em 1979. No mesmo ano, foi aprovada uma constituição teocrática. Como mostrou VEJA no início de março, o Banco Central emitiu comunicado com alerta do Grupo de Ação Financeira contra a Lavagem de Dinheiro e o Financiamento do Terrorismo (Gafi), advertindo todo o sistema bancário para operações financeiras envolvendo o Irã.

A política externa do Irã inclui o apoio a grupos terroristas como o Hamas, o Herzbollah e o Outhi, do Iêmen. O irã ingressou no grupo dos Brics com o apoio do presidente Lula. O grupo era formado inicialmente por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. Recentemente, o Brics recebeu a adesão do Irã, Arábia Saudita, Egito, Emeirados Árabes e Etiópia. A Argentina também foi convidada para ingressar no Brics, mas o presidente Javier Milei recusou o convite.

O Irã faz parte da lista de países do mal, onde o terrorismo é política comum. Eles são originários dos antigos povos Persa.

Da Redação com Agências Noticiosas

Imagens: Reprodução

artigos relacionados

PERMANEÇA CONECTADO

0FansLike
0FollowersFollow
21,800SubscribersSubscribe
- PUBLICIDADE-
Prefeitura
Banpara

Mais recentes

×
Pular para o conteúdo