quinta-feira, maio 30, 2024
Desde 1876

Kim Jong-un diz querer Coreia do Norte preparada “para a guerra”

O ditador da Coreia do Norte, Kim Jong-un, disse querer que o país esteja “mais preparado do que nunca para a guerra” diante do que chamou de “complexa situação internacional”. A fala aconteceu durante uma visita dele à Universidade Político-Militar Kim Jong-il, informou nesta quinta-feira (11) a imprensa local.

Kim visitou e inspecionou nesta quarta (10) as instalações da instituição fundada em 1973 e que tem o nome de seu pai, falecido em 2011. Ele estava acompanhado de membros do alto escalão do regime, incluindo Pak Jong-chon, vice-presidente da Comissão Militar Central, o ministro da Defesa Nacional, Kang Sun-Nam e o chefe do Estado-Maior, Ri Yong-gil, de acordo com a agência de notícias estatal KCNA.

Ele “assistiu às aulas ministradas aos alunos sobre operações e táticas” e “visitou as salas de estudo e treinamento para conhecer em detalhes a educação oferecida”, segundo a agência.

O ditador disse que, diante da “complexa situação internacional seriamente agravada pela escalada perpétua da violência e dos conflitos armados e da situação militar e política instável em torno da República Popular Democrática da Coreia”, é necessário “estar mais preparado do que nunca para a guerra”.

– É necessário se preparar com mais firmeza e excelência não apenas para uma possível guerra, mas para uma guerra que deve ser vencida sem falta – acrescentou.

Ainda segundo a KCNA, Kim “afirmou que, se o inimigo optar por um confronto militar” com a Coreia do Norte, o país “desferirá um golpe mortal sem hesitação, mobilizando todos os meios à sua disposição”.

As declarações de Kim foram conhecidas logo após o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, e o primeiro-ministro do Japão, Fumio Kishida, anunciarem em Washington uma série de medidas que representam a maior revisão da aliança militar entre os dois países em 65 anos, incluindo acordos sobre defesa e tecnologia.

Embora o anúncio coloque um foco especial na China, a modernização e o fortalecimento dos laços militares entre Tóquio e Washington também buscam dissuadir a Coreia do Norte de continuar desenvolvendo seus programas nucleares e de mísseis. Após o fracasso das negociações de desnuclearização com os EUA há cinco anos, a Coreia do Norte rejeitou qualquer convite para o diálogo.

*EFE

Fonte: Pleno News/Foto: EFE/EPA/KCNA

artigos relacionados

PERMANEÇA CONECTADO

0FansLike
0FollowersFollow
21,800SubscribersSubscribe
- PUBLICIDADE-
Prefeitura
Banpara

Mais recentes

×
Pular para o conteúdo