quarta-feira, julho 24, 2024
Desde 1876

Posseiros utilizam terra alheia para prática de tráfico de drogas em Santarém

Um imbróglio judicial que vem se arrastando desde o ano de 2020 pode ser julgado nesta semana na Vara Fazendária do Tribunal de Justiça do Estado do Pará, em Belém. Uma grande propriedade às margens do rio Tapajós, em Santarém, no oeste do Pará, invadida recentemente, poderá, finalmente, ser entregue aos proprietários legítimos. Segundo o empresário Rodrigo Quinco, proprietário da área, no local, a Polícia apreendeu uma grande quantidade de drogas, munição e carro suspeito, o que comprova o comportamento criminoso dos supostos posseiros que brigam, na Justiça, para permanecerem no local.

Há, inclusive, suspeitas das autoridades que investigam o caso, que táticas semelhantes – de invasão de terra para a prática de tráfico de drogas -, sejam utilizadas em vários outros pontos portuários por todo o vasto território do Estado do Pará.

Narram os fatos contidos no bojo do processo de pedido de reintegração de posse, que os posseiros, todas as vezes que têm mandado de reintegração de posse, entram com recursos para procrastinar o processo. Todavia, agora, eles foram flagrados na prática do tráfico de entorpecentes. Pela lei, eles perderiam a terra, caso fossem legítimos proprietários, mas a propriedade está sob litígio judicial há anos em função dessa série de recursos procrastinatórios, fatos estes que serão observados pela Vara Fazendária.

Para completar, a empresa proprietária da área, vem sendo achincalhada, como se fosse a autora do crime de tráfico de drogas, que levou viaturas e equipes policiais ao local, a zona portuária de Santarém, mais precisamente, no bairro do Uruará.

A empresa vem requerendo a reintegração de posse que, por tanto custar a acontecer em razão de recursos dos posseiros, serviu para mostrar o que realmente aqueles estão fazendo no local, um porto particular que já foi utilizando com operações portuárias que geravam emprego, renda e cifras para os cofres do município, do Estado e da União.

O CRIME

Na noite da última sexta-feira, dia 28, cerca das 21h, a Polícia Militar do Pará apreendeu uma grande quantidade de drogas e munições no Porto do Quinco, em Santarém. A ação resultou na apreensão de 50 kg de maconha, 10 kg de crack e 20 munições de calibre 9 mm, além de um veículo Corolla.

Tudo começou com informações repassadas pela 29ª CIPM (Obidos) à Companhia de Policiamento Ostensivo Tático (CPOAT), dando conta da chegada de dois veículos suspeitos em uma balsa oriunda de Manaus. As viaturas da CPOAT se dirigiram ao local e encontraram apenas o veículo Corolla.

Segundo o gerente da balsa, Sivaldo Magalhães Silva, os veículos estavam sob a responsabilidade de Victor Kalebe Monteiro da Silva. Minutos antes da chegada da PM, dois indivíduos teriam levado o veículo CRV, enquanto Kalebe retirou o Corolla da balsa e o estacionou nas proximidades. Ao perceber a presença dos policiais, Kalebe abandonou o local e fugiu a pé.

Diante das circunstâncias, foi solicitado o apoio de um chaveiro para abrir o veículo. No porta-malas, foram encontrados 43 tabletes de substância análoga à maconha, 9 tabletes de substância análoga ao crack e 20 munições de calibre 9 mm.

Todo o material apreendido, juntamente com o veículo Corolla, foi encaminhado para a 16ª Seccional de Polícia Civil de Santarém. O gerente da balsa, Sivaldo Magalhães Silva, também foi conduzido à delegacia para prestar depoimento e fornecer mais informações sobre o caso.

Imagens: Reprodução

artigos relacionados

PERMANEÇA CONECTADO

0FansLike
0FollowersFollow
21,900SubscribersSubscribe
- PUBLICIDADE-
Prefeitura

Mais recentes

×
Pular para o conteúdo